Sábado, 22 de Fevereiro de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx Cº / Min °C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Um novo talento, que preserva a tradição

Augusto Niles Loss, de nove anos, tem o dom da música e escolheu o Bandoneon como instrumento, fazendo sucesso por onde passa

a957bdbf90a5e353ef3fee65e967f50b.jpg Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

Pomerode é nacionalmente conhecida pela preservação das tradições herdadas dos colonizadores pomeranos, em vários aspectos, como gastronomia, dança e música, por exemplo. E isto só é possível graças à participação das novas gerações, que ainda se engajam nas manifestações típicas da cidade.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/906dd0914713bf0c60baa626ec8a4857.jpg

 

Exemplo disto é Augusto Niles Loos, de nove anos. O menino é indaialense, mas tem aulas de Bandoneon em Pomerode, com o professor Rodrigo Kienen, e já demonstra um dom para com a música, além da paixão pelo instrumento típico.

“Esse interesse pelo mundo da música existe desde quando ele tinha dois anos, quando começou a gostar da música. Primeiro ele queria a bateria e, quando ele tinha dois anos, demos uma bateria semi-profissional para ele. Quando o Augusto fez quatro anos de idade, minha mãe comentou do professor Rodrigo, que morava ao lado da casa dela e que dava aulas de Bandoneon, mas ainda achamos que ele era muito novo. No ano seguinte, ele começou a ter aulas de Bandoneon, porque era próximo de casa e era algo que o Augusto gostava”, comenta a mãe, Gilmara Niles.

 

Então, uma vez por semana, o menino tinha aulas com Kienen e cada vez mais foi se encantando pela música e adquirindo ainda mais habilidade com o instrumento. Há dois anos, o professor veio para Pomerode, mas nem por isso as aulas pararam, e, desde 2017, a mãe traz o Augusto para nossa cidade, para que continue com as aulas.

 

Mesmo com apenas nove anos, Augusto já demonstra grande talento para a música. (Foto: Raphael Carrasco / Jornal de Pomerode)

A primeira apresentação do Augusto foi em um encerramento do Grupo Amigos do Fole, com alunos do professor Rodrigo Kienen. Depois de lá, o menino passou a ser figura constante em encontros e festivais, sempre chamando a atenção pelo talento com o instrumento e pela pouca idade. Hoje, de acordo com Gilmara, Augusto participa de praticamente todos os encontros para os quais é convidado.

“Este ano, por exemplo, estivemos com ele em Passo Fundo. É longe, mas fizemos este esforço pois ele queria muito ir. Além do mais, foi importante para conhecer um local diferente, com uma cultura diferente. Por isso, sempre que possível, nós levamos o Augusto para estes encontros, inclusive da Festa Pomerana, em que ele esteve este ano e em alguns anteriores”, afirma a mãe.

O pequeno músico garante que não sente timidez na hora de se apresentar e comenta quais são suas músicas favoritas, para tocar no Bandoneon. “Eu gosto muito de um tango, que aprendi a tocar, e também de Cana Verde e Pamela. E só na primeira vez em que eu toquei, fiquei com um pouco de vergonha”, destaca Augusto.
Atualmente, o menino tem aula uma vez por semana em Pomerode, com uma hora de duração. E a mãe, Gilmara, ressalta o orgulho em poder ver o filho se dedicando a uma atividade saudável, como é a música.

 

Augusto também já participou do Encontro de Bandoneon, na Festa Pomerana. (Foto: Reprodução / TVJP)

“Para mim, como mãe, sempre é um orgulho e por isso a gente sempre acaba incentivando cada vez mais, porque a música é tudo de bom, traz alegria e é uma atividade sadia, o que me faz incentivá-lo a continuar. E admiro a dedicação que ele tem com a música, porque, mesmo que você tenha talento, é necessário ensaio, disciplina e dedicação”, declara.

Gilmara também comenta que incentiva o filho a ter um tempo para brincadeiras, distrações, mas que, mesmo assim, nas horas vagas Augusto busca o Bandoneon e fica tocando, simplesmente porque é algo que o menino gosta muito. 

E outra coisa que o Augusto gosta muito é de público, quanto mais melhor. “No Natal do Imigrante foi muito legal, porque tinha muita gente. Eu gostei muito deste dia”, afirma o menino e a mãe complementa.

“Quanto mais pessoas, mais ‘bagunça’ melhor. É engraçado porque quando ele está sozinho, não se empolga tanto, mas quando tem mais gente, aí é que ele se solta e se diverte mais. O fato é, ele ama a música”, ressalta Gilmara.

E o talento já vem rendendo frutos, pois o Augusto já tem até um CD gravado, que foi lançado no dia 22 de dezembro de 2018. A produção tem 10 músicas gravadas pelo menino no Bandoneon, duas delas com a participação do professor, Rodrigo Kienen.

 

Quer ser o primeiro a receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.

 



Tags:
Veja também: