Domingo, 22 de Setembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 19Cº / Min 11°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Um ato em prol da vida

Pomerodense doa sangue pela 37ª vez e reforça a importância do ato

dacbacd1dceb277046ddaecb2205a795.jpg Foto: Arquivo pessoal

Uma ação que pode salvar vidas. A doação de sangue é um dos atos solidários que pode ajudar na sobrevivência de pessoas que necessitam de sangue, para que o corpo continue funcionando.

A probabilidade de se precisar de uma doação de sangue é de uma para cada três pessoas, ou seja, é muito mais fácil necessitar de sangue do que ganhar em um sorteio na loteria, cuja probabilidade é de uma em 50 milhões. E, um pomerodense, faz sua parte há mais de 10 anos, sendo  exemplo de solidariedade.

Rui da Veiga, 52 anos, mostra toda sua preocupação quando o assunto é ajudar a quem precisa. Nesse mês de junho, que se celebra o Dia Mundial da Doação de Sangue, Veiga fez a sua 37ª doação de sangue, no Hemosc de Blumenau. Ele usou as redes sociais para compartilhar a ação solidária, com o propósito de incentivar a doação de sangue entre seus familiares e amigos.

Tudo começou quando o pai de um amigo estava necessitando de sangue. Foi aí, então, que Veiga decidiu doar pela primeira vez e se sentiu gratificado com o ato.
“A primeira vez que doei foi para o pai de um amigo, pois fiquei sabendo que ele estava precisando muito. Mas, eu peguei gosto pela coisa e, a partir dali, comecei a doar cada vez mais, pois me senti muito gratificado, afinal, uma doação de sangue pode salvar até quatro vidas. Imagina poder ajudar a salvar quatro vidas? É algo que não tem preço”, relata.

Veiga também é doador de medula óssea e sempre procurou ajudar o próximo, em diversas ações sociais, além da doação de sangue. E, aproveitou a oportunidade da entrevista para deixar um recado à população em geral.

 

Se cada um fizesse uma doação, nem que fosse uma ao ano, já pensou quantas vidas poderiam ser salvas?

 

“Eu digo que é muito importante doar sangue. O seu corpo não sente falta dessa parte que você vai estar doando. Se cada um fizesse uma doação, nem que fosse uma ao ano, já pensou quantas vidas poderiam ser salvas? Pense sempre que você, um dia, pode precisar de doação. Portanto, é importante refletir para que essas pessoas possam receber uma ajuda”, ressalta Veiga.

Doe Sangue você também

A doação é a retirada de aproximadamente 450ml de sangue, através de inserção de uma agulha em um dos braços. A coleta é feita por pessoas capacitadas e sob supervisão de um médico ou enfermeiro, garantindo o bem-estar do doador.

O ambiente deve ser limpo e confortável, e o material, descartável. Todo o processo da doação de sangue leva em torno de 55 minutos.

Doar sangue não dói, nem prejudica a sua saúde. A unidade mais próxima de Pomerode, é o Hemosc Blumenau, que fica localizado na Rua Theodoro Holtrup, 40, no bairro Vila Nova. As doações devem ser agendadas com antecedência e podem ser marcadas através do telefone 3222-9800.

É necessário, para doar, ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias. Menores de idade só podem realizar o ato mediante autorização formal de pais e responsáveis legais. O limite de idade para a primeira doação é de 60 anos. 

O candidato deve estar em boas condições e não pode apresentar feridas ou machucados no corpo e necessita ter um peso mínimo de 50kg. Antes de uma doação, não é recomendado fazer jejum, porém, evite refeições pesadas e procure se alimentar com pratos mais leves, evitando comidas gordurosas, nas quatro horas que antecedem a doação, e, é claro, não ingerir bebida alcóolica nas últimas 12h. 

Depois de passar um tempo doando o sangue, são necessários cuidados, já que, dependendo do doador, podem ser sentidas reações contrárias como tontura, enjoo e fraqueza. Por isso, é recomendado não voltar dirigindo, não fumar por, no mínimo, duas horas e evitar exercícios físicos em até 12h. O Hemosc, após a doação, recomenda que o doador fique por uns 15 minutos no local. A instituição também oferece lanches, logo após a ação.

Não pode doar:

Quem tem ou teve as seguintes doenças:
• Hepatite após os 11 anos de idade;
• Lepra (Hanseníase);
• Hipertireoidismo e tireoidite de Hashimoto;
• Doença auto-imune;
• Doença de Chagas;
• AIDS;
• Problemas cardíacos (necessita avaliação e declaração do seu cardiologista);
• Diabetes;
• Câncer.

Outras situações:
• Fez ou faz uso de algumas drogas ilícitas nos últimos 12 meses;
• Mantém relações sexuais de risco;
• Gestantes ou mulheres que amamentam bebês com menos de 12 meses;
• Teve contato sexual com parceiro ocasional/eventual nos últimos 12 meses.

1,6% da População

Dados do Ministério da Saúde mostram que, atualmente, 1,6% da população brasileira doa sangue – o que significa um índice de 16 doadores para cada grupo de mil habitantes. Jovens com idade entre 18 e 29 nos, segundo a pasta, são maioria - respondem por 42% do total de doações registradas no país. 

O percentual de doadores (1,6%) está dentro dos parâmetros da Organização Mundial de Saúde (OMS) – de pelo menos 1% da população, segundo o ministério. Porém, o governo quer aumentar o número de doadores. 

No Dia Mundial do Doador de Sangue, lembrado em 14 de junho, o ministério lançou, na Fundação Hemocentro de Brasília, uma campanha para homenagear doadores e sensibilizar novos voluntários. Nesta época do ano, é comum uma baixa nos estoques de sangue em razão da proximidade das férias escolares e das festas de São João, além da chegada do inverno. 

Em 2017, 3,3 milhões de pessoas doaram sangue e 2,8 milhões fizeram transfusão sanguínea no país. Do total de doadores, 60% são homens. O país conta com um total de 32 hemocentros coordenadores e 2.034 serviços de hemoterapia. A previsão para 2018 é de investimentos na ordem de R$ 1,3 bilhão na rede de sangue e hemoderivados.



Veja também: