Quarta-Feira, 17 de Julho de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 19Cº / Min 8°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Três décadas fomentando o desenvolvimento econômico

Bosch Rexroth completa 30 anos de atividades em Pomerode, já consolidada como uma das forças econômicas e sociais do município

fd2a216acfc3679811280721be5a89c8.jpg Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

Uma história de três décadas proporcionando desenvolvimento para as pessoas e para a cidade. Assim podemos resumir um pouco da trajetória da Bosch Rexroth em Pomerode, que completou 30 anos na cidade em 2019.

Tudo começou no ano de 1989, quando a empresa possuía a necessidade da expansão e optou por Pomerode para sediar a sua nova fábrica.  “Na década de 60, nós já tínhamos uma fábrica em Diadema (SP), uma região que já tinha forte influência da industrialização. Porém, na década de 80, chegamos a um ponto em que era necessária a expansão e a criação de uma nova fábrica. A Rexroth tinha uma base de fornecedores em Santa Catarina e, por isso, foi decidido abrir a segunda fábrica brasileira aqui no estado”, conta o atual diretor técnico da empresa em Pomerode, Edson Duwe.

Pomerode foi a cidade que ofereceu as melhores condições, na concepção dos diretores da época.  “Poucos foram os funcionários que vieram de São Paulo por transferência. A maior parte dos colaboradores foi contratada daqui, depois de passarem por capacitações. A ideia era formar e contratar os jovens da cidade”, afirma.

Os primeiros seis anos da Bosch Rexroth em Pomerode podem ser considerados uma fase de testes. As atividades da empresa começaram com três prédios alugados, que foram utilizados até que a Rexroth conseguisse formar uma base sólida na cidade. “Depois destes seis anos, acredito que foi conquistada a maturidade e as raízes para investir na fábrica própria. Eu vim para Pomerode em 1994, com a tarefa de ser o gerente de projetos para a implementação da fábrica própria na cidade, o que foi concretizado em 1995. Assumi a função de diretor em 2007”, relata Duwe.

 

 

No ano de 2005, a empresa passou por uma grande expansão, tendo como uma das principais mudanças a transferência do foco da produção para exportação. “Essa mudança foi e continua sendo muito positiva, pois elevou os nossos processos a um nível internacional de qualidade, para podermos ser competitivos no mercado internacional, provocando um salto de profissionalização na empresa”.

Ao longo de seus 30 anos de história, além de auxiliar no desenvolvimento econômico de Pomerode, uma das principais contribuições da empresa para a cidade foi a oferta de oportunidades de crescimento pessoal e profissional de seus colaboradores. “Por sermos uma empresa multinacional, com fábricas em muitos países, nossos colaboradores conseguiram um desenvolvimento pessoal e profissional através de viagens para o exterior, possibilitando que eles ampliassem sua formação e sua bagagem cultural”, afirma Duwe.

Hoje, a Bosch Rexroth continua em constante adaptação, a um mundo que não para de mudar. A empresa trabalha diariamente para manter a sua sustentabilidade econômica, além de auxiliar na questão social e ambiental. Por exemplo, com o projeto Instituto Robert Bosch, criado em 2011, que desenvolve uma série de atividades e projetos sociais.

A qualidade de vida e bem estar dos colaboradores também são pilares da empresa, com diversas ações que têm os funcionários como protagonistas. “Desenvolvemos treinamentos na parte técnica, comportamental para desenvolver a liderança, sempre buscando engajar as pessoas e criar um clima organizacional muito positivo. As pessoas são parte essencial do negócio, pois a parte técnica não é suficiente, mas sim as pessoas usando bem a tecnóloga disponível”, destaca.

 

 

“Nos sentimos motivados para enfrentar os próximos desafios que virão, com a colaboração de todos. Foram 30 anos de muitas dificuldades e conquistas, nos quais alcançamos os nossos principais objetivos, cumprindo, também, nossa missão na cidade. E que venham mais 30”, finaliza.

 



Veja também: