Segunda-Feira, 17 de Fevereiro de 2020

facebook_icon

Hoje: Máx 33Cº / Min 23°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Sobe número de macacos mortos por suspeita de Febre Amarela

Só neste ano, 22 bugios foram encontrados mortos e 10 estão sendo analisados pela Dive

92f9ea9e1a8deb8cb402b3ee9f909c21.jpg Foto: Raphael Carrasco/JP

Um alerta para toda a comunidade de Pomerode. Está subindo o número de bugios encontrados mortos com suspeita de Febre Amarela em nossa cidade. De acordo com a Vigilância Epidemiológica do município, cerca de 22 bugios foram encontrados sem vida e 10 já foram encaminhados para a análise no Instituto Carlos Chagas Fiocruz do Paraná, laboratório de referência para Santa Catarina, a fim de saber se esses bugios morreram em virtude da doença, ou não.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/906dd0914713bf0c60baa626ec8a4857.jpg

 

Ainda de acordo com a Vigilância, não é possível afirmar se os mesmos morreram por causa da Febre Amarela, já que, é necessário que o animal seja examinado em até 24 horas após a morte, para se ter precisão no resultado final. Quando há essa notificação das mortes dos bugios, a Vigilância Epidemiológica faz visitas nas redondezas para verificar o local e também avisar aos moradores da comunidade local.

De acordo com Jaqueline Gustmann, gerente da Vigilância Epidemiológica de Pomerode, é importante realizar a vacinação, para ficar imune à doença.

“Para fazer a vacinação, basta ir aos Postos de Saúde do seu bairro, e levar consigo a carteirinha de vacinação, de preferência. Com esse alerta dessas possíveis mortes desses macacos, é de extrema importância estar vacinado e ficar imune à doença”, relata.

Febre amarela em SC

No dia 28 de março de 2019, Santa Catarina confirmou o primeiro caso de febre amarela autóctone (contraída dentro do Estado) em humano. O paciente era um homem, de 36 anos, que não havia se vacinado e morreu. Ele morava na localidade de Pirabeiraba, em Joinville, no Norte do Estado.

A segunda morte em humano foi registrada no final de junho de 2019. O paciente era um homem, de 40 anos, morador de Itaiópolis, no Planalto Norte. Ele também não tinha registro de vacina no SIPNI (Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações).

Com relação aos primatas, foram notificadas, em 2019, 353 mortes de macacos em 77 municípios. Dessas, seis tiveram a causa da morte confirmada por febre amarela (Garuva, Joinville, Indaial e Jaraguá do Sul).

 

Quer ser o primeiro a receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.



Veja também: