Terca-Feira, 25 de Junho de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 21Cº / Min 9°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

SC tem 14 casos de raiva bovina

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) divulgou na terça-feira, 28 de maio, que 14 casos de raiva bovina foram registrados em Santa Catarina, em 2019. Na última segunda-feira, dia 27, foram confirmadas mortes de vacas pela doença em Tijucas e Biguaçu, na Grande Florianópolis

3b42fed4b0624330b92959cc199d4bc2.jpg Foto: Divulgação

A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) divulgou na terça-feira, 28 de maio, que 14 casos de raiva bovina foram registrados em Santa Catarina, em 2019. Na última segunda-feira, dia 27, foram confirmadas mortes de vacas pela doença em Tijucas e Biguaçu, na Grande Florianópolis.

Pelo risco de transmissão entre mamíferos, inclusive humanos, o órgão está exigindo que produtores rurais façam a imunização dos animais. Médicos veterinários passam desde janeiro em propriedades, e os donos devem comprovar a vacinação, apresentando nota fiscal de compra à Cidasc.

Na Grande Florianópolis, o alerta atual da Companhia é para produtores de Tijucas, Canelinha, Biguaçu, São João Batista e Governador Celso Ramos, que devem vacinar todos os bovinos, suínos e equinos.

Em Pomerode, a vacina para os animais bovinos, suínos e equinos pode ser obtida junto à Secretaria de Desenvolvimento Rural, porém, é o proprietário da criação que deve arcar com a compra da vacina. Depois disto, os profissionais da área veterinária realizam a aplicação da vacina nas propriedades.

Já para os animais domésticos, que podem transmitir mais facilmente a doença para os seres humanos, a vacina deve ser procurada nas clínicas veterinárias e os bichos devem receber um reforço anual da dose da vacina.

De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica em Santa Catarina (Dive/SC), não há caso de raiva humana na Grande Florianópolis. No estado, apenas Gravatal teve registro da enfermidade: uma mulher de 38 anos, que morreu neste mês, pela doença. Pela transmissão ter ocorrido por um gato, houve uma mobilização para vacinar animais domésticos daquela região.

A doença é fatal, transmitida por animais domésticos, de produção e silvestres. A raiva ataca o sistema nervoso central e pode gerar agressividade, mudança de comportamento e paralisia. Os morcegos hematófagos são o principais hospedeiros do vírus.

Raiva em animais e vacinação

Segundo a Cidasc, as cidades que registraram casos da doença foram: Urussanga, Garopaba, Imaruí, Santa Rosa de Lima, Gaspar, Campos Novos, Tijucas e Biguaçu.

A Cidasc diz que assim que é encontrado o foco de raiva bovina, as ações de vacinação e mobilização de produtores iniciam. Além dos sintomas, caso o animal tenha marcas de mordida de morcego, a Cidasc deve ser comunicada para verificação.



Veja também: