Sábado, 14 de Dezembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 26Cº / Min 20°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Projeto “Bota Fora” deve ser anual, a partir de 2020

Pontos de coleta serão colocados na cidade para o descarte de bens que não são mais utilizados pela população

39f2cb45d4e86ab6f8b0a0216015a338.JPG Foto: Arquivo Jornal de Pomerode

Todo fim de ano, o Samae realiza o projeto Bota Fora Sustentável, que tem como objetivo receber, através de descarte consciente, materiais em desuso da população e promover a correta destinação final, com intuito de fomentar atitudes sustentáveis, cujo objetivo principal é promover, na sociedade, uma educação ambiental duradoura, através do estímulo à reutilização de móveis e eletrodomésticos, entre outros materiais. 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/906dd0914713bf0c60baa626ec8a4857.jpg

 

Para evitar a deterioração e a perda dos materiais, a coleta passa pelas ruas de Pomerode em datas preestabelecidas, e em 2019, o serviço será realizado até a metade do mês de novembro. Os moradores precisam ficar atentos às rotas de coleta e colocar os móveis, eletrodomésticos, roupas, entre outros objetos a serem doados, em frente às suas residências, apenas na data marcada para a coleta em sua rua. Os materiais selecionados em condições de serem reutilizados, serão destinados para doação, através de critérios de avaliação da Secretaria de Desenvolvimento Social e Habitação (Sedes).

Mas, muitos acabam não conseguindo descartar os bens não usáveis nas datas estabelecidas pela autarquia municipal, o que pode gerar um descarte incorreto, causando transtornos em uma determinada comunidade. Com isso, o Samae Pomerode deve realizar a coleta anual e realizar o Bota Fora, o ano todo, a partir de 2020. A novidade foi anunciada durante uma entrevista ao vivo, realizada no estúdio do Jornal de Pomerode, que trazia a temática da coleta de lixo municipal (a transmissão completa, você confere no Facebook do JP).

A ideia é que “Ecopontos”, ou seja, pontos de coleta do projeto, sejam distribuídos pela cidade e aqueles que queiram se desfazer de algo que não utilize mas que ainda seja útil para quem precisa, não precisará aguardar até o fim do ano.

“Uma pessoa, por exemplo, compra um sofá novo, no mês de março e a mesma quer descartar o seu antigo móvel, mas não sabe como realizar esse procedimento. Para que a pessoa não precise esperar ou até mesmo para aquelas que têm insegurança de deixar esses materiais na rua, para a coleta do Samae, já que furtos acontecem, infelizmente, durante a campanha, ter o Bota Fora anual, seria uma solução para todos”, relata.

 

Mudança na coleta de lixo orgânico

O Samae de Pomerode também anunciou mudanças em relação à coleta de lixo orgânico. Agora, o recolhimento de resíduos orgânicos passará a ser realizado em dois turnos.A medida pode alterar, em alguns locais, os horários que são feitas essas coletas. O primeiro turno será das 05h às 14h, e o segundo segue das 14h até o final da rota diária. Em relação aos dias, os mesmos não sofrerão alteração.

Campestrini esclarece que pouca coisa deve mudar para a população, com o serviço prestado pela empresa terceirizada HMS. Ele também ressalta que essa mudança irá trazer economia à autarquia municipal. 

“O nosso custo, estava em uma média de RS 220,00 por tonelada. Com a HMS, o custo passará para R$ 155,00, uma redução de R$ 65,00, por tonelada coletada pelo Samae. Vale ressaltar que a principal intenção é realizar o trabalho da melhor forma possível e com a qualidade que é uma marca registrada, sem diminuir nossa mão de obra e otimizando os nossos equipamentos, principalmente, no transporte”, explica.

 

Quer ser o primeiro a receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.



Veja também: