Segunda-Feira, 21 de Outubro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 20Cº / Min 16°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Paixão, sem idade, nas pontas dos pés

Grupo de adultos do Ballet Cultura realiza sua primeira apresentação, durante o espetáculo Divertissement VII

366ba866ecc2bdb8851a437e6785e990.jpg Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

Um amor incondicional pelo Ballet. Podemos definir, assim, a relação de Ana Ramers, 67 anos, com a dança, que pratica até os dias de hoje. Agora, com o grupo de adultos do Ballet Cultura Pomerode, que conta com 18 alunos, entre 16 e 70 anos, Ana teve a oportunidade de voltar aos palcos, relembrando os tempos de juventude. Desde pequena, a aposentada já praticava o Ballet e outras danças, já que sempre foi uma amante da dança. Deu uma parada aos 16 anos para se dedicar aos estudos e ao trabalho e, após 53 anos, Ana conseguiu realizar o seu desejo de infância e começou com a turma de adultos do Ballet Cultura.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

Ela conta que quando soube da possibilidade de abrir uma turma para adultos, ficou extremamente ansiosa e conversava com a coordenadora e coreógrafa do Ballet Cultura, Andrea Ianetta Hadrec, a fim de convencer a mesma para que abrisse essa tão esperada oportunidade, já que, como também faz parte do grupo de teatro, olhava os ensaios do Ballet e ficava encantada com o que via, além de sentir vontade de poder dançar nas pontas dos pés novamente. Em março, após um período de matrículas para a abertura da nova turma de adultos, enfim, Ana reiniciou os ensaios, momentos que deixaram a aposentada emocionada.

 

Ana é a bailarina mais velha do grupo. (Foto: Arquivo Pessoal)

“É como se passasse um filme na minha cabeça. Começamos na metade de março e já nos apresentamos em julho, foi tudo muito rápido. Não só eu, mas todas do grupo, que tiveram a oportunidade de fazer o Ballet, novamente, ou até mesmo se arriscar pela primeira vez na dança, puderam mostrar o talento nessas performances no Divertissement VII”, relata.

Os ensaios, que ocorrem todas as quintas-feiras, segundo ela, não são cansativos. Uma das partes mais “doloridas” é o alongamento antes de iniciar o ensaio que, de acordo com Ana, em função da idade, os membros acabam doendo um pouco mais, porém, durante as danças, a dor some. Além disso, a aposentada também conta que o fôlego já não é mais o mesmo e que em algumas coreografias o cansaço dá as caras. E, no fim do ano, serão mais duas apresentações, com a mesma coreografia do espetáculo Divertissement VII e outra nova, feita para o próximo evento. Ana aproveitou para dizer que a dança é tudo em sua vida.

 

Não só eu, mas todas do grupo, que tiveram a oportunidade de fazer o Ballet, novamente, ou até mesmo se arriscar pela primeira vez na dança, puderam mostrar o talento nessas performances no Divertissement VII

 

“Retornar para a dança foi algo muito especial. Com o tempo, por causa dos estudos, depois o casamento e os filhos, a nossa rotina acaba mudando e começamos a nos dedicar à família. Até hoje, guardo uma das minhas primeiras sapatilhas de ponta e pretendo, se tudo der certo e me adaptar novamente, quero usar ela de novo. E, por estar chegando aos 70 anos, é sempre importante cuidar para que não dê uma distensão ou alguma lesão que me tire da dança”, comenta a aposentada.
Andrea, coreógrafa do grupo, comenta que, no começo, o grupo estava com receio de se apresentar para o público, mas, com o seu apoio e de Ana, os adultos resolveram participar do Divertissement VII.

 

“Eles estavam com muito medo de não saber fazer certo ou dar algo errado durante uma apresentação para o público. É normal esse receio, pois foram quase três meses de ensaio para o evento e quem não tinha a experiência com a dança, ficava com um pé atrás. Porém, tudo deu super certo nesses dois dias de apresentação no Divertissement VII, eles se dedicaram muito e, agora, já estão me perguntando quando será a próxima, de tanta alegria que eles ficaram depois da performance. Isso é extremamente gratificante”, frisa Andreia. 

 

O espetáculo

Duas noites que arrancaram aplausos de um teatro completamente lotado. O Ballet Cultura de Pomerode se apresentou diante de um ótimo público no espetáculo Divertissement VII, na última sexta e sábado, dias 12 e 13 de julho.

Ao todo, 48 apresentações foram feitas para os presentes durante os dois dias, totalizando 18 escolas, grupo de adultos e o Corpo de Baile. Os alunos que irão representar o grupo no Magical Dance Tour, que será realizado no Walt Disney Orlando Resort, em Orlando (EUA), aproveitaram para coreografar danças que farão parte do repertório a ser apresentado em solo norte-americano.

 

(Foto: Isadora Brehmer)

Segundo a professora e coreógrafa do Ballet Cultura de Pomerode, o espetáculo foi um sucesso de público, surpreendendo até os organizadores do evento.

“Não esperávamos um público tão positivo durante esses dois dias. Dividimos em duas datas para que os familiares e amigos dos dançarinos pudessem ver sem maiores problemas e preocupações com falta de ingresso e lotação. Mas, muitas pessoas da comunidade, além dos familiares, se fizeram presentes no espetáculo e isso nos deixou completamente felizes e orgulhosos do trabalho que fizemos na sétima edição do Divertissement”, ressalta Andrea.

Agora, o Corpo de Baile terá um período curto de recesso para descansar. Logo após o merecido repouso, os alunos irão se preparar e se dedicar para o evento a ser realizado na Disney, em setembro.



Veja também: