Quinta-Feira, 19 de Setembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 24Cº / Min 17°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Obras da BR-470 devem ser concluídas até 2022, diz DNIT

Superintendente da pasta em SC, Ronaldo Carioni, anunciou a inauguração de 12 quilômetros da rodovia neste ano

3f7c2b90f1382369090cb6283d635229.jpg Foto: Filipe Scotti

Mais de 12 quilômetros da rodovia BR-470 devem ser entregues até setembro e a previsão é que as obras da rodovia sejam concluídas até 2022, de acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). O superintendente da pasta em Santa Catarina, Ronaldo Carioni, expôs nesta quarta-feira, 14 de agosto um panorama do andamento das principais rodovias federais do estado. A apresentação ocorreu durante reunião do Conselho Estratégico e da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, em Florianópolis. 

Na BR-470, neste ano, serão entregues 12 quilômetros, além de outras melhorias na via, em um investimento de R$ 1,2 milhão. São quatro trechos de obras na rodovia, entre Navegantes e Indaial. O trecho entre Luiz Alves e Blumenau deve ser entregue até 2020 e a previsão é que todos os quatro lotes de obras previstos pelo DNIT sejam concluídos até 2022. 

A intenção do DNIT é trazer a Presidência da República para a inauguração de parte da via neste ano. “Precisamos levar nossos anseios e necessidades para continuar investindo em infraestrutura no estado”, afirmou o superintendente do DNIT. Para ele, a falta de recursos é o principal entrave para o andamento das obras em Santa Catarina. “Temos em torno de R$ 250 milhões para a infraestrutura no estado em 2019, é pouco dinheiro”, afirmou Carioni.

No encontro, o superintendente do DNIT também destacou as obras da BR-280, da BR-285, da BR-101, da BR-163 e da BR-282. Problemas com desapropriações e na contratação das empresas também estão entre os desafios da pasta para a conclusão das obras.

O secretário-executivo da Câmara de Transporte e Logística da Fiesc, Egídio Martorano, destacou a importância desse raio-X e da mobilização dos poderes executivo e legislativo para o aprimoramento da infraestrutura no estado. “Completamos o primeiro semestre do ano e a ideia é estar a par do que está acontecendo e das principais dificuldades e detectar ações institucionais que podemos tomar no sentido de ter os investimentos necessários para estes eixos todos que são estratégicos”, afirmou Egídio. 

Para ele, as melhorias na infraestrutura são fundamentais para o desenvolvimento da indústria e do estado. “Sabemos que o andamento das obras está abaixo do esperado e isso causa uma série de transtornos, como acidentes, demora no transporte de produtos, entre outros prejuízos que resultam na perda de competitividade de Santa Catarina. Na pauta da indústria, a infraestrutura é uma das prioridades porque o custo logístico significa 0,14 centavos para cada real faturado na indústria”. 

 

Quer receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.

 

Fonte: Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc)



Veja também: