Sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 34Cº / Min 21°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

O foco na busca por um sonho

Estudante revela como a persistência em um objetivo de vida a ajudou na realização de um sonho

9755b4639c2da8328753f0575b80f2a2.jpg Foto: -Thais ficou, inicialmente, na cidade de FrankfurtArquivo pessoal

Foco foi a característica que levou a estudante Thais Jandre, de 18 anos, a alcançar a primeira etapa de um objetivo de vida: estudar no exterior. De abril a agosto deste ano, Thais conseguiu ficar na Alemanha realizando um curso preparatório para uma prova que certifica o nível do alemão para quem quer estudar em alguma universidade do país.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

A estudante relata que esta foi a sua terceira experiência no exterior, trabalhando para alcançar uma meta que possui desde muito nova. “A vontade de estudar no exterior iniciou por volta dos meus 11 anos, quando eu comecei a estudar inglês. E durante o meu Ensino Médio eu tive a oportunidade de fazer dois intercâmbios de curta duração e percebi que era possível, sim, estudar na Alemanha”, conta Thais.

E para realizar este sonho, após a conclusão do Ensino Médio, a estudante começou a fazer o planejamento. No ano de 2018, Thais cursou dois semestres de Licenciatura em Química, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), no campus de Blumenau. Neste mesmo período, conseguiu um emprego e juntou dinheiro, tendo consciência do que era necessário para alcançar o seu objetivo.

Conforme já citado, em abril Thais viajou para a Alemanha, ficando primeiro na cidade de Frankfurt, Depois, ela seguiu para Erlangen, em Bayern, onde realizou os seus estudos preparatórios. “Nos quatro meses em que esteve lá, fiz um curso preparatório para a prova DSH (Deutsche Sprachprüfung für den Hochschlzuzang), que certifica o seu nível de alemão e é aceita em universidades da Alemanha”, relata.

Thais pondera que já conhecia um pouco do país, devido às experiências anteriores. Porém admite que a principal dificuldade foi estar totalmente sozinha e precisar resolver tudo sem contar com o auxílio de outras pessoas para resolver problemas. “A adaptação foi relativamente tranquila, já sabia como eram as pessoas, como elas reagem. Mas ao mesmo tempo houve a parte do choque cultural, todos falam uma língua diferente e a parte burocrática também é em outro idioma, o que é mais uma dificuldade”, destaca.

Dentre os principais aprendizados, Thais afirma que conseguiu evoluir muito na língua, o que era o principal objetivo. Ao sair do Brasil, tinha o nível B2, que já é um intermediário avançado, mas mesmo assim conseguiu melhorar muito, principalmente na parte de conversação. “Além disso, me tornei muito mais independente, porque tive que passar a resolver todas as coisas sozinha, desde simplesmente ir às compras, até resolver a burocracia de registro na cidade e solicitação de visto em alemão”, ressalta a estudante.

Thais admite que, apesar de terem sido apenas quatro meses, a saudade apertou, principalmente da família, dos amigos, e até mesmo de ver rostos conhecidos nas ruas. Mesmo assim, ela manteve seu foco e, agora, já se prepara para uma nova etapa.

“Esses quatro meses foram um período de preparação para a prova do DSH, então no final de setembro eu volto pra Alemanha. Dia 01 de outubro eu faço a parte escrita da prova e dia 09 a parte oral. Passando nessa prova, posso me matricular na Friedrich-Alexander-Universität, em Erlangen-Nürnberg (FAU Erlangen-Nürnberg) e então, se tudo der certo e eu me adaptar, pretendo cursar o Bacharelado em Química lá”, garante a estudante.

Por fim, Thais destaca que, quem tiver a oportunidade de realizar um intercâmbio, que não tenha dúvidas em fazê-lo. “O intercâmbio deve ser aproveitado ao máximo, porque serão experiências maravilhosas, que só vão acrescentar na sua vida. E para conseguir realizar um sonho de sair do país, é interessante procurar sobre as possibilidades, buscando parcerias, pois são inúmeras maneiras. E mais uma dica, no geral, vale a pena expandir os nossos horizontes, talvez em cidades não tão famosos, pois existem vários lugares que podem proporcionar uma experiência tão boa quanto, ou até melhor do que em locais mais famosos”, finaliza.

 

Quer receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.

 



Veja também: