Terca-Feira, 12 de Novembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 23Cº / Min 14°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

JP Saúde: Incontinência Urinária Feminina

A incontinência urinária pode acometer indivíduos de todas as idades, de ambos os sexos e de todos os níveis sociais e econômicos

70246c3e89a381147b50832c17253b0d.jpg Foto: Divulgação

A incontinência urinária é uma condição que afeta dramaticamente a qualidade de vida, comprometendo o bem-estar físico, emocional, psicológico e social. A incontinência urinária pode acometer indivíduos de todas as idades, de ambos os sexos e de todos os níveis sociais e econômicos.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

Normalmente, existe uma perfeita coordenação entre a bexiga e o esfíncter (músculo que funciona como uma válvula que fecha a uretra, impedindo a saída da urina). A maioria das pessoas possui completo controle sobre esse processo, permitindo o enchimento da bexiga entre 400 ml e 500 ml, sem que ocorram perdas urinárias. 

 

Incontinência urinária nas mulheres

Milhões de mulheres no Brasil e em todo o mundo sofrem deste problema, que causa a perda involuntária de urina e pode interferir nas suas atividades e na sua qualidade de vida. Uma vez que a incontinência urinária é um sintoma, é importante informar ao médico quando ocorre. Uma avaliação bem feita pode determinar a causa da incontinência. Entre as pessoas com idade superior a 60 anos, acredita-se que de 30 a 60% tenham incontinência. Mulheres são mais predispostas do que homens. Entre os idosos que vivem em casas de repouso, pelo menos, 50% apresentam incontinência urinária.

Entre as causas, destacam-se doenças como a bexiga hiperativa, fraqueza dos músculos que sustentam a bexiga (bexiga caída e incontinência urinária de esforço), fraqueza do músculo esfincteriano que envolve a uretra, defeitos de nascimento, doenças e lesões da medula, cirurgias sobre a bexiga, órgãos genitais femininos e outros órgãos pélvicos, doenças que afetam os nervos ou músculos (derrame cerebral, esclerose múltipla, poliomielite, distrofia muscular etc.). Em alguns pacientes, mais de uma causa podem estar presentes.

 

Incontinência de esforço

Pode ser devido à fraqueza dos músculos pélvicos que dão suporte à bexiga ou à fraqueza ou lesão do esfíncter uretral. Nesta circunstância, pode ocorrer vazamento de urina quando você faz qualquer atividade que força o abdômen, como tossir, espirrar, dar risada, carregar peso ou, até mesmo, andar.

 

Exames para diagnóstico da incontinência

A história clínica é fundamental para a hipótese diagnóstica. O estudo urodinâmico  é o exame diagnóstico definitivo e nos orienta com relação ao tratamento. 

 

Tratamento da incontinência urinária de esforço

O fortalecimento do assoalho pélvico, por meio de atividade física, fisioterapia dirigida, são as medidas iniciais a serem ofertadas.

Além disso, existe a possibilidade do tratamento cirúrgico. Este é considerado um tratamento minimamente invasivo, conhecido como SLING, em que se coloca uma tela de polipropileno para sustentar a uretra, evitando-se as perdas urinárias. Procure um Urologista para mais informações. 

Centro Médico Integrado (HMRT). Rua Hermann Weege, 2727.
Dr. Raphael Lahr - CRM SC 15336.

 

Quer receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.



Veja também: