Sexta-Feira, 15 de Novembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 28Cº / Min 15°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

JP Saúde: Dor muscular X ansiedade

Podemos observar a frequência, cada vez maior, de artigos e reportagens trazendo a questão da Dor no Brasil como uma preocupação cada vez maior

0d5c352d0e18e3781747548dc882b0e8.jpg Foto: Divulgação

Podemos observar a frequência, cada vez maior, de artigos e reportagens trazendo a questão da Dor no Brasil como uma preocupação cada vez maior.  Dor aguda, crônica, cefaleias, lombalgias, fibromialgia, dores orofaciais, enfim são múltiplos os temas. Pacientes, profissionais da saúde e o público em geral debatem mais essa matéria. 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

Sem dúvida, a dor, principalmente quando persistente ou crônica, deixa-nos assustados. Afinal, dor não é um simples sintoma? Pois é, a questão é bem mais complexa. Vejamos... 

Em geral a palavra dor tem múltiplos sentidos, porém, sempre, relaciona a sofrimento. Dor é multidimensional. Nela, encontra-se uma mistura de sentimentos, dimensões diversas, desde a sensitiva, passando pela afetiva. Indo à dimensão, neurovegetativa, chegando à social e, se é que se pode separar, a espiritual. Ou seja, a dor tem vários caminhos a percorrer até se tornar um sintoma. Inicia geralmente como um pensamento, que se transforma em sentimento e depois transforma-se em sintoma físico. Resumindo, uma expectativa ou frustração pode se transformar em dor muscular.

Como fica então o profissional de saúde, ao avaliar um paciente com dor? Sem dúvida, precisa estar bem preparado para entender esse “universo interior” do paciente com dor. 

Do ponto de vista da saúde é prioritário conhecer os mecanismos da dor juntamente com as doenças que a causam, pois faz parte do dia a dia dos profissionais da saúde. Embora não seja questão restrita a eles, pois familiares de pacientes com dor, o sistema de saúde e a sociedade sentem o impacto decorrente do paciente com dor, particularmente quando esta é persistente a tratamentos ou crônica. 

A dor muscular está frequentemente relacionada a tensão. Outro fator importante a ser salientado é o uso excessivo do músculo ou lesão por exercício ou trabalho fisicamente desgastante. Nessas situações, a dor tende a envolver músculos específicos e começa durante ou logo após a atividade. Em geral a atividade que está causando a dor muscular é óbvia. Porém, muitas vezes o exercício ou postura que a desencadeiam é difícil de ser de ser reconhecido.

Mas a mialgia, outro nome dado para a dor muscular, é considerada o principal sintoma das doenças que acometem o sistema musculoesquelético. Como todo esqueleto é recoberto por músculos, o problema pode se manifestar em qualquer parte do corpo e é bastante comum. Entre as principais queixas, destacam-se as dores nas regiões do pescoço e ombros, que representam 55% a 30% dos casos, seguidas por dor lombar de 30% a 15% e também pela articulação da mandíbula (temporomandibular), em uma proporção, em uma proporção de 10% a 7%.

As pessoas mais suscetíveis a dores no pescoço, costas, temporomandibular e fibromialgia são as mulheres. Os dados são da Associação Internacional para o Estudo da Dor.

 

O efeito da ansiedade sobre o seu corpo:

As pessoas com ansiedade conhecem muito bem o impacto negativo que ela pode ter sobre seu cotidiano. Mesmo que você não sofra do transtorno, os episódios de ansiedade e estresse crônico que todos nós enfrentamos podem cobrar um custo pesado na sua saúde. 

Veja os efeitos da ansiedade sobre o seu corpo:
•  Durante os episódios de ansiedade, os fluidos são dispersos para diferentes partes do corpo. A garganta seca e seus músculos ficam tensos;
•  Quando o corpo primeiro sente estresse, os músculos reagem imediatamente, ficando tensos;
•  Para levar mais oxigênio ao corpo durante um episódio de ansiedade, o baço descarrega mais glóbulos vermelhos do que brancos;
•  Nossa resposta ao estresse faz o fluxo sanguíneo aumentar, levando a uma redistribuição do sangue no corpo. Algumas pessoas ficam mais pálidas, e outras ficam ruborizadas; 
•  Função respiratória enfraquecida;
• Problemas de digestão;
•  Sistema imunológico enfraquecido;

Quando você começa a sentir ansiedade, seu corpo naturalmente fica mais rígido, tencionando os grandes grupos musculares. O estresse e ansiedade crônicos podem exacerbar essa tensão, resultando em dores de cabeça, ombros enrijecidos, dor na nuca e até enxaquecas. As pessoas submetidas a estresse constante sofrem risco maior de problemas musculoesqueléticos crônicos.

 

Tratamento

Um dos tratamentos mais eficazes não só para a dor muscular, mas também para a ansiedade é a massagem terapêutica. Esta é indicada para soltar os músculos, permitindo o relaxamento muscular, diminuindo o acúmulo de ácido láctico nos músculos, gerado pela ansiedade.

A massoterapia clínica tem como principal objetivo diminuir a dor, removendo obstáculos na musculatura que dificulta da chegada de estímulos nervosos a certas partes do corpo como braços, pernas e órgãos. Além de proporcionar tratamento para enxaqueca e vários tipos de dores de cabeça e/ou disfunção dos órgãos. 

Estudos comprovam que pacientes com ansiedade que buscam pelo tratamento da massoterapia clínica, apresentam:
• Menos internações hospitalares;
•  Menos cirurgias;
• Menos custo farmacêutico; 



Veja também: