Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 22°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Demonstração de amor em forma de adoção

Conheça a relação de pomerodense com animais adotados, encontrados após situação de abandono

e1d9cc4d5b0b40e50d936f6b6f58f8bd.jpg Foto: Divulgação

O quanto é importante adotar? Esse simples gesto pode alegrar e melhorar a vida de muitos animais estimação, que se encontram abandonados nas ruas ou aqueles que são resgatados e permanecem em abrigos à espera de uma nova família. 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

Foi por um acaso que a relação de Allana Schoenfelder com a adoção começou. Em fevereiro de 2017, enquanto voltavam para casa, escutaram miados vindos de um dos carros da família. Ao verificar, em primeiro momento, perceberam a presença de um gato dentro do para-choque do veículo.

De início, acharam que poderia ser um felino da vizinhança e esperaram passar mais um dia. Logo na manhã do dia seguinte, ainda escutavam os miados e resolveram verificar com mais profundidade. E, ao abrir uma das tampas do motor, com a ajuda da família, viram apenas a cabeça de um filhotinho de gato. Após esforços, conseguiram tirar o gatinho, que viria ser um dos companheiros fiéis de Allana.

Foi aí que a história de Isco e a estudante de medicina veterinária começou. Ela nos conta que nunca teve um gato e relata que sua relação sempre foi mais próxima com os cachorros.

“Eu sempre amei animais, mas, principalmente, os cachorros. Eu tinha um poodle que, aos 14 anos, veio a falecer e também tenho, na casa dos meus pais, um Pastor Alemão, o Thor. Quando ela morreu, eu comecei a procurar animais para adoção, mas nunca pensei que seria um gatinho. Naquele dia, quando tiramos o Isco do carro, foi amor à primeira vista. Hoje, ele faz parte da família e foi aí que resolvi adotar mais de uma vez”, relata.

 

 

Ainda em 2017, quando Allana morava com seus pais, resolveram adotar o Nacho, um filhote de vira-lata, o primeiro cachorro que a família adotou, após ter sido jogado da janela de um carro. Em janeiro de 2018, após uma amiga avisar que havia um gatinho próximo à sua casa, abandonado, levou para casa para cuidar, chegou a anunciar para o mesmo ser adotado, porém não obtiveram sucesso. Mas, Allana foi se aproximando e se apegando cada vez mais com o filhote e decidiu adotar o Harley, que seria um novo membro da família. 

Após um tempo, ela e o namorado resolveram morar sozinhos e levaram junto os dois gatinhos. E, há dois meses, a casa da mãe e do pai recebeu um novo morador, após mais um cachorrinho ser encontrado na rua. Ela explica que a adoção é um gesto de proporciona sentimentos indescritíveis e fala sobre a importância deste nobre ato.

“Adotar é tudo de bom. Quando eu resolvi realizar essa ação, vi o valor que a mesma possui, pois você vê a felicidade desses bichinhos e a oportunidade de dar uma vida melhor a eles, não tem preço. A gente vê muitos animais nas ruas, sem comida, sem abrigo e a melhor maneira de diminuir isto, é adotando. Portanto, adote um animal você também!”, finaliza.

 

A campanha da AFS

A história de Allana foi escolhida após várias histórias da relação entre animais adotados e seus donos, em campanha promovida pela AFS Comitê Vale Europeu, para estimular a adoção de animais. E, através de histórias inspiradoras, como essa que contamos, a campanha tem como objetivo difundir com mais profundidade a temática da adoção.

“Os animais podem não ser seres racionais como nós, seres humanos, mas todos aqueles que já tiverem ou tem algum companheiro em casa, sabem do sentimento e do amor que desenvolvemos por eles. Adotar um animal abandonado é poder doar um pouco do amor que você tem a um serzinho que só quer carinho. E, com certeza, o retorno que você terá será muito maior do que os custos e/ ou cuidados que um animal de estimação exige: um amigo fiel que te ensinará muito sobre a Vida e o Amor ao Próximo”, complementa o diretor administrativo da AFS na Região Sul, Stefan Klug.

 

Quer receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.



Veja também: