Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Cuidados essenciais em um momento difícil

Os chamados cuidados paliativos são oferecidos a pacientes que possuem uma doença que não tem cura, e objetivam oferecer qualidade de vida, neste estágio final

3682620476b0f245527419278dcbdcf0.jpg Foto: Divulgação

Pacientes que enfrentam doenças terminais, que não têm cura ou são degenerativas passam por diversas dificuldades e, normalmente este estágio é marcado pelo sofrimento. Mas existe uma área da geriatria e da gerontologia, ainda pouco conhecida, que pode oferecer uma melhora na qualidade de vida destes pacientes.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

Os cuidados paliativos têm como objetivo oferecer mais conforto aos pacientes que estão no fim da vida. Inicialmente, foram elaborados para os pacientes oncológicos que estejam em estado terminal, mas hoje já engloba pessoas que possuem doenças degenerativas ou que não possuem cura.

“Os cuidados paliativos também configuram a geriatria e gerontologia. Pacientes com idade avançada sem indicação de intervenção invasiva ou sem possibilidade de tratamento curativo têm indicação e devem iniciar o tratamento paliativo logo no início do diagnóstico visando prevenir complicações. O tratamento deve abranger uma equipe multidisciplinar (médico, psicólogo, enfermagem, nutricionista, fisioterapia, terapia ocupacional)”, explica a especialista em saúde do idoso, Nathany Raup.

 

Dra. Nathany Raup, especialista em geriatria e gerontologia. (Foto: Divulgação)

 

A área dos cuidados paliativos tem os seguintes objetivos: aliviar os problemas existentes, sintomas causados pela doença, que causam sofrimento; prevenir a ocorrência de novos problemas de saúde, novas complicações; promover oportunidades de experiências significativas e valiosas, crescimento pessoal e espiritual; não tem o objetivo nem de acelerar ou adiar o falecimento do paciente; fazer com que o paciente tenha a possibilidade de ter a vida mais ativa possível e oferecer suporte para a família enfrentar o luto.

“Os cuidados paliativos devem ser iniciados da forma mais precoce possível, a partir do diagnóstico da doença e nem sempre os pacientes são idosos. Seja qual for o caso, o maior objetivo é oferecer a humanização, para que o paciente tenha o máximo de qualidade de vida possível, dada a situação pela qual está passando”, ressalta a especialista.

Os familiares destes pacientes também recebem atenção especial, com acompanhamento psicológico e espiritual, para que se preparem para enfrentar o luto. A médica destaca que sempre procura ter conversas individuais com o paciente e com a família. “Fazemos isso para que os familiares entendam que não há uma possibilidade de cura, mas que podemos tornar aquele fim de vida menos sofrido para o paciente, e, assim, ajudamos a família a enfrentar o luto”, afirma.

A médica afirma que realiza os atendimentos para oferecer os cuidados paliativos tanto no Hospital quanto nas casas dos pacientes, também visando contribuir com o bem-estar de quem é atendido, neste momento difícil.

 

 

Serviço

Rua Hermann Weege, 2727, Centro
Contato: (47) 3395-3892 / 
(47) 99703-0506
Atendimento com horário marcado



Veja também: