Domingo, 18 de Agosto de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 28Cº / Min 17°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Consumo sustentável e recursos para a comunidade

Brechó da Rede Feminina recebe doações de roupas, acessórios e utensílios domésticos, em bom estado, para revender a um preço mais acessível

68f3803e1595e68b36c61bb74c84ffd9.jpg Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

O brechó da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Pomerode, carinhosamente chamado pelas voluntárias de “Lojinha da Rede”, é uma das formas encontradas de arrecadar fundos para a instituição e, ainda, ajudar o meio ambiente, por meio do reaproveitamento de objetivos seminovos.

E para que este objetivo possa ser cumprido, é fundamental que as pessoas que doam roupas ou outros objetos usados para a RFCC, tenham consciência de que não se trata de um descarte, e sim, de um repasse de objetos, que serão utilizados por outras pessoas, posteriormente.

Na loja, a Rede oferece roupas (femininas e masculinas), sapatos, brinquedos, itens para a casa e acessórios, para todas as idades. Nas doações, também são aceitos utensílios para a casa e brinquedos. A única exigência é que os produtos estejam em bom estado.

“É preciso que as pessoas tenham em mente que doar objetos para um brechó não pode ser considerado uma forma de descarte, pois outras pessoas procuram estes objetos e eles precisam ser bons. Também é importante que não sejam enviadas roupas íntimas como doação, exceto quando são novas, porque não temos como repassar este tipo de peça”, explica a coordenadora do setor do brechó, Cleusa Tomaseli Hackbarth.

Ela mostrou, também, como é feita a separação das doações que chegam à Rede. O primeiro passo é levar as sacolas ao depósito, onde é feita uma triagem inicial do que pode ou não ser aproveitado. Depois, as roupas que serão aproveitadas passam por uma nova separação, das que estão em perfeito estado e das que precisam de um pequeno reparo, que é feito por uma voluntária.

 

 

“Então, separamos as roupas entre feminino, masculino e infantil, e também, pela estação em que ela se encaixa, se é de inverno ou verão. Só depois elas recebem uma etiqueta com preço e são colocadas na loja. O mesmo vale para outros objetos. Vale ressaltar que todos os preços são muito baixos”, destaca a coordenadora.

Por este motivo, o cuidado na separação inicial, antes de levar algum material para doação, é muito importante para a Rede, pois evita descartes desnecessário e auxilia no trabalho das voluntárias. A coordenadora revela, inclusive, que esta é uma dificuldade enfrentada por diversas entidades e não só a Rede.

“Mas isso não diminui a importância das doações, que auxiliam pessoas que precisam de roupas a um preço mais acessível e, também, a Rede, pois a nossa lojinha nos ajuda a custear os serviços que oferecemos, que são o retorno para a comunidade. Isso sem contar no incentivo ao consumo sustentável, de reaproveitamento. Por isso, queremos deixar um agradecimento muito especial a todos que doam objetos para a Rede, porque é graças a estas pessoas que executamos este trabalho”, ressalta Cleusa.

Para manter o brechó em funcionamento, são 32 pessoas diretamente envolvidas e, o que não é aproveitado no local, por já existir muita quantidade daquele item, é destinado para outras entidades beneficentes que tenham brechó ou que direcionem, diretamente, a pessoas que precisam.

A comunidade pode levar doações sempre que a loja ou o ambulatório estiverem abertos, de terça a quinta-feira. Os horários de funcionamento dos locais, você confere no box ao fim da matéria. Ou, ainda, o interessado pode ligar para a Rede e agendar um momento para que as voluntárias recolham.

 

 

 

Horários de atendimento

Ambulatório

De terça a quinta-feira, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min

Brechó

Terça-feira, das 8h às 12h e das 14h às 18h
Quinta-feira, das 14h às 18h
Sábados, das 8h às 12h

 



Veja também: