Segunda-Feira, 16 de Dezembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 26Cº / Min 24°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Bem-vindo ao novo lar

Fly, filhote de flamingo nascido em incubadora artificial, está, agora, no recinto juntamente com as outras aves

87ac2da929269cd7c35ae76025493042.jpg Foto: Raphael Carrasco / Jornal de Pomerode

Após um período de quarentena e muitos cuidados dos veterinários e biólogos do Zoo Pomerode, Fly, o flamingo que foi batizado pelo voto popular, em votação feita pelo Jornal de Pomerode e o Zoológico, se integrou com as outras aves do recinto dos flamingos, no último dia 24 de junho. 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/906dd0914713bf0c60baa626ec8a4857.jpg

 

O filhote, que nasceu em 18 de fevereiro deste ano, teve um processo de chocagem do ovo um tanto quanto diferente, através de incubadora artificial, já que, após a mãe ter botado o ovo, os pais da pequena ave abandonaram o mesmo. O tempo de nascimento foi de 28 dias. Com isso, todo o progresso de crescimento foi adaptado, para que Fly pudesse se desenvolver mesmo sem a ajuda da mãe. 

Os biólogos e veterinários do Zoo fizeram o papel materno para que Fly pudesse ganhar peso e força, antes de ir ao recinto com os outros flamingos do Zoo. Nesse período, o filhote teve muito contato com os colaboradores do zoológico, pois em algumas de suas atividades diárias, caminhava pelos arredores do local, sendo, praticamente, um xodó dos funcionários.

Porém, mesmo com a afetividade de todos com o animal, chegou a hora de Fly ir para o recinto e continuar a sua vida com os flamingos que já habitam o espaço. E, de acordo com o biólogo César Santos, a adaptação foi positiva.

“A adaptação foi favorável. O flamingo é uma espécie relativamente tranquila. Houve um período de tempo para que ele pudesse se acostumar com o espaço, já que ele estava recebendo alimentação diferenciada, através de papas e, hoje, está se alimentando de ração, igual às outras aves do recinto”, explica Santos.

Mesmo estando com os outros flamingos no recinto, Fly ainda está sendo monitorado de perto pela equipe do Zoo Pomerode, para conferir como está sendo o contato com as outras aves e a definição de seu sexo, que ainda não teve confirmação.

 

Votação para a escolha do nome

Como dito logo no início desta matéria, o Fly recebeu este nome através de uma votação promovida pelo Jornal de Pomerode e o Zoo Pomerode. No total, 924 votos foram contabilizados, sendo 453 para o nome escolhido. As outras opções, além de Fly, eram Oli, Pink e Andi. Segundo Santos, a votação aproxima o público dos animais do zoológico.

“Foi extremamente positivo. Nas ruas, o pessoal me perguntava sobre a escolha dos nomes, no próprio Zoo. Essa é uma maneira de sensibilizar o público e aproxima o mesmo dos animais, para saber mais sobre a espécie, trazendo um engajamento e envolvimento das pessoas com essa questão ambiental”, relata.

 

A espécie

O Flamingo-Chileno, espécie que está no recinto do Zoo Pomerode, é característico da América do Sul. Suas penas possuem a coloração cinza-rosada e a articulação tarsal e os pés são vermelho-sangue. O bico é amarelado com a ponta negra. Pode pesar 3,5 kg e medir de 80 a 154 cm de altura. Os machos são ligeiramente maiores que as fêmeas. Um outro detalhe curioso é a cor das penas dos filhotes, que nascem com a penugem acinzentada, e somente aos três anos, é que eles têm as penas da cor rosa, característica da espécie.

Sua dieta é composta, principalmente, por vegetação e invertebrados aquáticos. 

O formato e tamanho do bico estão adaptados para bombear e filtrar a água que carrega seu alimento. Em grande parte dos invertebrados consumidos, está presente uma substância chamada caroteno, que confere ao animal a coloração rosada. Na falta dessa substância, as penas tornam-se esbranquiçadas.

Os flamingos habitam os recintos do Zoo Pomerode desde 2007, após serem apreendidos no Espírito Santo, em virtude de uma tentativa de tráfico de animais. 

Muitos deles tiveram as asas amputadas quando foram capturados, o que também prejudica o acasalamento. A captura acontece, principalmente, por ser um animal exótico. A primeira reprodução seguida de nascimento dos filhotes aconteceu no início de 2018. Três bebês flamingos passaram a integrar uma colônia com cerca de 16 aves que já habitavam o recinto.

Quer ver mais detalhes desta integração? Assista à matéria em vídeo.



Galeria de fotos: 3 fotos
Créditos: Raphael Carrasco / Jornal de Pomerode Lucas Lima / Jornal de Pomerode Divulgação / Zoo Pomerode
Veja também: