Quinta-Feira, 14 de Novembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 30Cº / Min 19°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

A história de Pomerode preservada em museus

Neste dia 18 de maio, foi celebrado o Dia do Museu, um local que preserva histórias e que merece, sempre, atenção especial e valorização. E, para comemorar a data tão especial, está sendo realizada a Semana Nacional de Museus, com várias atrações diferenciadas, por todo o Brasil

56d82ec6e8fc6e7942d2eadfa727d00e.jpg Foto: Divulgação / PMP

Neste dia  18 de maio, é celebrado o Dia do Museu, um local que preserva histórias e que merece, sempre, atenção especial e valorização. E, para comemorar a data tão especial, está sendo realizada a Semana Nacional de Museus, com várias atrações diferenciadas, por todo o Brasil.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

E em Pomerode, não poderia ser diferente. O Museu Pomerano está promovendo várias atividades em homenagem à semana. A primeira delas, realizada em 13 de maio e que será repetida nos próximos dias 20 e 27 deste mesmo mês, foi nomeada como “Caminhando entre as memórias e arquiteturas do antigo centro da Vila do Distrito do Rio do Testo, conhecida por Pommeroda”.

A caminhada é conduzida pela historiadora Roseli Zimmer e pelo Professor João Altair, e no primeiro dia, contou com a participação de Estudantes e Professores do Colégio Sinodal Dr. Blumenau, do C. E. Nossa Senhora de Fátima, da E. E. B. José Bonifácio e da E. E. B.  Pres. Prudente de Morais. Também houve a participação especial dos senhores Arno Teichmann, Wilfried Gustamnn e Roland Ehlert, que compartilharam suas memórias e histórias da cidade.

Segundo Roseli, coordenadora do Museu Pomerano, localizado no centro da cidade, as ações em homenagem à Semana Nacional de Museus, valorizam a história de Pomerode.

“Em primeiro momento, pensamos em sair um pouco do Museu e promover essa caminhada para mostrar um pouco mais da história de nossa cidade, o porquê das construções serem dessa maneira, o calçamento e as pedras brutas, de origem da cidade, que viraram parte dessas ruas do Centro Histórico. Isso faz com que o visitante ou até mesmo os moradores da cidade saibam com mais profundidade o passado de Pomerode, difundindo a preservação da nossa história”, explica Roseli.

Sabendo mais sobre os Museus da cidade

Ao todo, Pomerode possui quatro museus e um memorial que preservam a história da Cidade Mais Alemã do Brasil, com 60 anos de emancipação político-administrativa, completados em 21 de janeiro. Agora, você poderá conhecer um pouco sobre esses locais que guardam relatos, documentos e falam sobre as pessoas influentes que fizeram o município crescer.

Museu Pomerano 

O Museu Pomerano revela fragmentos dos mais variados tipos e tamanhos que, em conjunto, se encaixam na tentativa de reconstruir parte da história do município a partir da chegada dos imigrantes europeus, no século XIX.

São peças de couro, tecido, madeira, vidro, metal ou porcelana, sendo a maior parte do acervo adquirida do colecionador Egon Tiedt, que desde 1982 expunha os objetos em um museu particular. Agora, sob tutela da Fundação Cultural de Pomerode (FCP), as peças integram o primeiro museu pomerodense restritamente ligado à iniciativa pública. O local fica na Rua Hermann Weege, próximo ao Centro Cultural da cidade.

Museu Casa do Escultor

Localizado próximo ao Portal Turístico Sul, a Casa do Escultor Erwin Curt Teichmann abriga inúmeras obras da carreira do escultor homônimo. São diversas peças talhadas em madeira, cujo principal motivo são figuras do cotidiano, como lavradores, pescadores, operários, peões e cavalos. 

Também encontram-se em exposição pinturas a óleo, aquarelas e moldes em barro e porcelana feitos pelo artista. Natural de Kiel, norte da Alemanha, Teichmann chegou ao Brasil ainda criança, em 1914. Faleceu em 1992, aos 85 anos.

Museu Casa do Imigrante

O museu Casa do Imigrante é parte do patrimônio deixado pelo imigrante pomerano Carl Weege, que se fixou em Pomerode na região onde hoje se localiza Pomerode Fundos. Reconstruído com autêntica construção enxaimel e decoração típica da colonização alemã, o local conta com a exposição de móveis antigos, roda d’água, rancho com moenda de cana-de-açúcar, prédio da atafona (moinho de fubá de milho) e a Praça Lauro Guenther.

Museu do Marceneiro 

O Museu do Marceneiro conta a história dos Móveis Behling, empresa familiar que atua em Pomerode desde a década de 50. O museu contrasta passado e presente, com a exibição de uma roda d’água e equipamentos utilizados desde a época em que a indústria era apenas uma marcenaria. Anexo à Loja da Fábrica. O museu fica na Rua Alfredo Hoge, Centro.

Memorial Arthur Schmidt

Um local projetado junto à Fábrica Porcelana Schmidt para conservar a memória dos 70 anos de existência que se misturam com a história da porcelana no Brasil. Esse é o objetivo do Memorial Arthur Schmidt.

São peças antigas que representam as épocas vividas no Brasil. Coloridas ou brancas, as peças trazem história em cada detalhe. O local fica na Rua Luiz Abry, também no Centro da cidade.



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Arquivo Jornal de Pomerode
Veja também: