Sexta-Feira, 22 de Novembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 34Cº / Min 21°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

40 anos de dedicação à mesma profissão

Asta Krahn Klotz atua por quatro décadas no HMRT, no setor de enfermagem

60822aac36cd7f42ecaaf1ae69b81895.jpg Foto: -Asta Klotz e os quatro netos: Rafaela, Fernanda, Gustavo e Miguel, dos quais, presenciou os nascimentosArquivo pessoal

Uma única profissão e emprego durante toda a vida. Parece um pouco ilusório, considerando a sociedade na atualidade. Mas uma pomerodense pode se orgulhar desta conquista e, ainda, faz parte da história de muitas outras pessoas na cidade.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

Asta Krahn Klotz, de 69 anos, é Técnica em Enfermagem e já trabalha há 40 anos no Hospital e Maternidade Rio do Testo. Sua história na instituição começou em 1966, quando tinha apenas 16 anos, atuando como auxiliar de enfermagem. Naquela época, segundo Asta, a dinâmica era muito diferente, mas ela sempre foi apaixonada pelo que faz.

Ela trabalhou no HMRT até 1980, quando decidiu se dedicar mais à família. “Tirei uma pausa devido ao meu casamento e para cuidar dos meus filhos, porque é na infância que eles precisam da mãe. Mas depois voltei ao emprego, algo que sempre quis fazer”, revela Asta. 

 

Muitos dos anos de profissão foram dedicados à maternidade. (Foto: Arquivo pessoal)

A Técnica em Enfermagem retornou à profissão em 1993 e segue ativa até hoje. Devido ao aperfeiçoamento dos serviços, Asta teve a oportunidade de voltar a estudar e fazer o curso técnico da profissão, formando-se em 2008. Contando somente os seus anos de serviço, são 40 anos dedicando-se ao próximo no HMRT.

Nestas quatro décadas, por 24 anos, Asta foi enfermeira plantonista da noite, quando o serviço é mais difícil. Mas o amor pela profissão sempre foi maior e a manteve firme em sua vocação. “Sempre gostei de ser enfermeira, é uma satisfação pessoal. Atuava mais na maternidade e no setor clínico do Hospital”, relata.
Com alegria, Asta comenta que, hoje, encontra pessoas as quais presenciou o nascimento, voltando à maternidade, desta vez, como pais e mães. “Eu auxilio, principalmente, na assistência ao recém-nascido, em suas primeiras horas de vida, que são cruciais para o seu desenvolvimento. Inclusive, na maternidade, eu vivenciei os momentos mais marcantes da minha profissão, pois tive a oportunidade de presenciar o nascimento de meus quatro netos, Rafaela, Fernanda, Gustavo e Miguel, como enfermeira”, destaca.

 

Inclusive, na maternidade, eu vivenciei os momentos mais marcantes da minha profissão, pois tive a oportunidade de presenciar o nascimento de meus quatro netos, Rafaela, Fernanda, Gustavo e Miguel, como enfermeira.

 

Há três anos, a Técnica em Enfermagem atua fazendo plantões durante o dia, diminuindo, levemente, o ritmo. Ela também procura transmitir a experiência adquirida ao longo de 40 anos aos mais novos, que estão iniciando na profissão.

“Eu sempre procurei fazer meu trabalho com dedicação e amor e, na minha opinião, para ser enfermeira é preciso ter energia e gostar do que faz, além de estar sempre disposto a aprender e a servir ao próximo, que é o objetivo da profissão. Se eu tivesse que repetir, faria tudo da mesma forma em minha vida”, finaliza.

 

Quer receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.

 



Veja também: