Terca-Feira, 22 de Outubro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 23Cº / Min 18°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

10 anos abrilhantando a cultura de Pomerode

Teatro Municipal completa uma década, já tendo revelado diversos talentos na cidade

e3380938d07522abab4579600e8ca861.jpg Foto: Bob Gonçalves / Jornal de Pomerode

O palco que coroa a beleza da cultura pomerodense, em suas mais diversas formas de expressão, completa na próxima terça-feira, 13 de agosto, 10 anos de fundação. O Teatro Municipal de Pomerode contou com um investimento de R$ 3,5 milhões para ser construído e tem capacidade para 498 espectadores.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
https://jornaldepomerode.com.br/novo/midia/banners/banner_808x164/29f51f06e48d9e702fd26857397d83d9.jpg

 

Na época, uma programação especial foi preparada para celebrar a inauguração desta estrutura tão especial e, uma das apresentações, foi a da Banda Municipal “Die Originalen Rega Bläeser” que proporcionou um momento inesquecível, também, para a pomerodense Samantha Gaedtke, clarinetista da banda. Isso porque, na apresentação especial de inauguração do Teatro, realizada em 21 de agosto, ela subiu ao palco pela primeira vez com a Banda.

Samantha conta que o pai foi a grande influência na música quando pequena. “Ele me levava para ver os desfiles na Festa Pomerana e dizia: ‘um dia você pode estar no meio deles’. Quando eu fiz 12 anos, em 2007, a Rúbia, minha vizinha e primeira professora, falou que a banda estava precisando de alunos. Foi meu primeiro passo para entrar na banda”, conta a musicista. 

Ela relembra que se preparou muito para aquele momento, de estrear em algum palco, tocando para uma plateia. E fazer isso em uma ocasião como a inauguração, era uma grande conquista. “Para mim, tocar em um teatro era algo muito grande. Tocar no teatro da minha cidade, na semana da inauguração, o meu coração estava a mil. Lembro que estudei muito todas as músicas”, revela.

 

Samantha lembra, com carinho, da primeira apresentação. (Foto: Bob Gonçalves / Jornal de Pomerode)

A clarinetista conta, bem humorada, que o nervosismo estava a mil naquela noite e relembra que Rafael Liandro Pinto Nemézio, maestro da banda, chamou-a para frente, assim como os outros estreantes, e contou ao público que era a primeira apresentação. “Eu estava como um pimentão, nunca havia ficado em frente a uma plateia tão grande. Ele ainda falou: ‘não reparem o vermelhão’. Aí sim, fiquei ainda mais vermelha. Além disso, a roupa era preta e a cor da pele vermelha, se destacava mais ainda”, comenta Samantha.

 

O Teatro Municipal é de fundamental importância para a Banda Municipal, bem como, para outros projetos culturais do município, pois além de terem feito parte da programação de inauguração, realiza diversos concertos no local, como o especial em homenagem ao Dia do Músico.

Samantha, hoje, lembra com carinho de sua primeira apresentação, e considera o Teatro parte de sua história, como musicista. “Eu tinha 14 anos quando subi pela primeira vez no palco do Teatro Municipal de Pomerode. Hoje, já se passaram 10 anos e toda vez que subo no palco, lembro como se fosse ontem a minha primeira apresentação com a Banda Municipal ‘Die Originalen Rega Bläser’. O Teatro representa um pedaço da minha carreira. Foi ali que tive a minha primeira experiência com o público, tenho um carinho enorme por esse local. Para a cultura de Pomerode, o Teatro é muito importante, pois é um espaço onde podemos manter vivas, não somente a nossa cultura alemã, como as demais ricas atividades culturais brasileiras, através da expressão das linguagens artísticas”, ressalta a musicista.

 

Samantha, em sua primeira apresentação, no palco do Teatro. (Foto: Arquivo pessoal)

Por fim, Samantha manifesta o desejo de que outras crianças, jovens e adultos possam ter esta mesma sensação de mostrar sua arte no palco do Teatro Municipal. 

“Preciso agradecer todas as pessoas que fizeram parte dessa história. Desejo a muitas pessoas, principalmente, jovens e crianças, a terem essa oportunidade de subir ao palco do nosso Teatro, poder sentir esse frio na barriga e encantar uma grande plateia”, finaliza.

 

Local com a cara de Pomerode

O projeto arquitetônico do Teatro Municipal valoriza instalações comerciais e industriais, concebendo uma arquitetura peculiar. Possui elementos característicos, como telhados cerâmicos, alvenaria de tijolos aparentes e com reboco, estruturas de madeira e volumetria. Desta forma, o Teatro se harmoniza com a arquitetura do conjunto onde está localizado o “Complexo Weege”, um dos mais importantes conjuntos industriais do Vale do Itajaí.

 

Teatro, logo após ter sua construção finalizada. (Foto: Arquivo Jornal de Pomerode)

O auditório traz o nome de Rodolfo Siewert, cidadão pomerodense com forte influência cultural em sua época. O Espaço Cultural homenageia Hermann Gehrmann, alemão empreendedor, proprietário do Hotel Oasis, sinônimo de requinte na Pomerode dos anos de 1950. A Praça Cultural foi denominada Marlene Dietrich, em referência a uma das maiores artistas alemãs.

 

Quer receber as notícias de Pomerode e região pelo WhatsApp? Clique aqui.



Veja também: