Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Você já ouviu falar em K-Pop?

Gênero pop sul-coreano, com características únicas, já é febre entre jovens de todo o mundo.

9487ec9a2b49f102db98e7ecf9c9fb34.jpg Foto: Divulgação

Quem tem filhos adolescentes antenados nas novidades no mundo da música ou quem é, por si só, ligado neste universo, em algum momento, já deve ter ouvido falar do fenômeno musical K-Pop, estilo sul-coreano de música, que é o pop da Coreia do Sul. Cada vez mais as bandas, artistas e grupos que trabalham com este estilo musical, vêm ganhando força e visibilidade, principalmente entre os pré-adolescentes. 

Apesar de existirem controvérsias, acredita-se que o K-Pop começou em 1992, com o grupo Seo Taiji & Boys, que passou a experimentar diversos sons com um único objetivo: criar um tipo de música diferente do que o público coreano estava acostumado a escutar. Os garotos revolucionaram o cenário musical e, desde então, o gênero seguiu sendo influenciado pela música eletrônica, pelo R&B e até pelo próprio rock coreano, o K-Rock.

Desde o início até agora, muita coisa mudou, mas não a vontade de produzir uma música diferente, só que para um público bem maior: o internacional. Para prender o interesse dos fãs de outros países, os cantores de K-Pop lançam músicas com frases, palavras ou expressões em inglês. Em outros momentos, eles acabam se aventurando com o lançamento de músicas ou até álbuns em outras línguas (japonês, chinês e inglês), para ganhar o mercado local. Ainda globalizando o gênero, muitas vezes, grupos fazem parcerias com rappers americanos, como 2NE1 com Will.i.am, e Wonder Girls com Akon.

E as iniciativas de artistas do K-Pop vêm dando certo, já que o número de fãs do estilo musical cresce a cada ano. Em Pomerode, há quem também já seja apaixonado por esta cultura, principalmente os jovens. Uma destas apaixonadas é Isabella Dahlke Gonçalves, de 13 anos, que já conhece e escuta músicas do gênero K-Pop há mais de um ano. 

“Eu já escutava algumas músicas há mais tempo, mas eu virei ‘K-Popper’ mesmo quando uma amiga minha me mostrou. Daí eu gostei muito e comecei com essa paixão”, conta a menina, que cita suas duas bandas favoritas: BTS e Got7, dois grupos masculinos de K-Pop.

Quanto à popularidade entre as crianças da cidade, Isabella admite não conhecer muitas outras pessoas que gostam do K-Pop, mas garante que adoraria conhecer mais fãs na cidade. 

A paixão da menina é tanta, que ela não esconde que faria tudo para conhecer seus ídolos. “Acho que faria qualquer coisa. Como eles moram do outro lado do mundo, é bem difícil algum dia eu poder conhecê-los, mas eu faria qualquer coisa, se pudesse”, garante.

Além do ritmo pop, outra característica dos artistas do K-Pop é a grande produção visual. O que mais chama a atenção são as cores e o figurino, tudo combinando com coreografias bem planejadas e ensaiadas. “A batida, o ritmo e, principalmente, a letra, é o que mais me encanta. Eles cantam coisas tão profundas que é quase impossível não se apaixonar”, afirma Isabella.

Nos videoclipes, três versões são as mais comuns: uma só com a dança, uma dramática, que conta uma história, e uma que intercala as duas em um vídeo só. Um dos grupos coreanos de K-Pop, o Infinite, decidiu fazer uma mega produção e, inclusive, gravou seu videoclipe nos estúdios da Universal, nos Estados Unidos. 

Alguns dos principais grupos do gênero musical são: BTS (Bangtan Sonyeondan), Twice, Girl’s Generation, EXO, Red Velvet, iKON, Got7 e Seventeen. A banda EXO, inclusive, se apresentou no encerramento das Olimpíadas de Inverno de Pyeongchang, na Coreia do Sul, em fevereiro de 2018. 



Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg