Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Um nome inesquecível na política

Na abertura da série de reportagens com as mulheres da política pomerodense, conversamos com Ivone Spranger, ex-vice-prefeita da cidade. Depois de encerrado o seu mandato, Ivone ainda tentou ingressar em um setor diferente da política

2dbd34f976117c78a9dcaa2cd1cda538.jpg Foto: Isadora Brehmer/JP

O cenário político pomerodense tem uma série de nomes que ficaram marcados na história da cidade, seja nas esferas Executiva ou Legislativa. E entre estes nomes fortes, há a presença feminina, que trouxe grandes contribuições ao crescimento da cidade.

Como forma de exaltar os grandes nomes femininos da política de Pomerode, iniciaremos, nesta edição, uma série de reportagens com personagens femininos do cenário político, que deixaram a sua marca e o seu nome na história da cidade, cada uma com o seu legado. E para dar início à nossa série, conversamos com a ex-vice-prefeita de Pomerode, Ivone Spranger, hoje com 69 anos.

Seu envolvimento com a política começou na década de 1990, mais precisamente no ano de 1992, quando o então prefeito, Henrique Drews Filho, convidou-a para ser diretora da Escola de Pomerode Fundos, época em que foi ampliada, passando a ter também 5ª e 6ª série, na época. Em 1997, foi convidada, também por Drews, para assumir a Secretaria de Saúde, por ter experiência em gestão.
 
“Eu sempre senti muita alegria em estar em contato com o povo. Essa alegria gerou o entendimento do meu partido, o PSDB, de que eu deveria me candidatar a vice-prefeita, na chapa junto ao Ércio”, revela a aposentada.

Depois de vencerem a eleição, ela assumiu o governo do município ao lado de Ércio Kriek, na gestão de 2004/2007. Ivone afirma que um dos principais aspectos que a marcou no período em que foi vice-prefeita, foi a mudança na maneira de enxergar a administração pública. “O que me marcou muito foi perceber o julgamento das pessoas. Estando na prefeitura, pude mudar a minha percepção, pois quando você está fora, vê a situação de uma maneira, e quando está lá dentro, trabalhando junto, vê as dificuldades que precisam ser resolvidas. E foi muito bom ter o Ércio ao meu lado, pois ele sempre foi muito amigo, disposto e colaborador”, ressalta.

Ivone também comenta que uma das dificuldades que ela enfrentou no fim do mandato, em 2007, foi quando descobriu o câncer de mama, que acabou exigindo muito mais força dela do que a vida política. Porém, esta vivência na administração pública, de acordo com a ex-vice-prefeita, foi muito significativa em sua vida e se alegra por tê-la vivido.

“Foi uma época de grande aprendizado, desde quando fui diretora, depois Secretária de Saúde e, então, vice-prefeita. Eu pude conhecer e trabalhar com muitas pessoas, foi realmente um período de muita aprendizagem. Mas só tenho coisas boas a falar sobre esta experiência”, frisa.

Depois de encerrado o seu mandato, Ivone ainda tentou ingressar em um setor diferente da política, concorrendo, em 2012, ao cargo de vereadora, mas não se elegeu. Desde lá, confessa que atua mais nos bastidores, atendendo e auxiliando as pessoas, dentro de seu partido, PSDB. “O câncer também tirou um pouco do meu ‘gás’ nesta caminhada”, admite.

E estando do lado de fora da política, Ivone destaca que é necessário ter, cada vez mais, a presença feminina neste universo, pois as mulheres têm muito a contribuir.

“Enquanto estive no mundo da política, não enfrentei dificuldades relacionadas ao preconceito e acredito que devemos ter mais mulheres na política, sim. Temos muitas mulheres fortes em Pomerode, que deveriam, ao menos, tentar assumir um cargo público. Eu digo que vale a pena, pois ajuda muito a ver as coisas de outra forma”, finaliza.



Veja também:









Publicidade

  • 
    eb224b55631b8f403d168a912e1f6fb6.jpg4b580c53dad677f2141dea5ad908465d.jpg