Jornal de Pomerode


Um dia para trocar experiências

Doar um dia de sua vida para fazer o bem a uma pessoa é uma pequena atitude que gera uma grande alegria. Foi o que fizeram os alunos do 5º ao 8º anos do Centro Educacional de Timbó, o Cetisa, que visitaram os internos do Centro de Convivência Pommernheim, no dia 07 de abril. “Há alguns anos o Cetisa já faz essa visita, então, mais uma vez, partiu deles a iniciativa de ligar e agendar a vinda deste ano”, explica Fabiana Fragoso, coordenadora de saúde do centro.

efb19dbb724e53edf27b06da12ec0a14.jpg Foto: Divulgação

Doar um dia de sua vida para fazer o bem a uma pessoa é uma pequena atitude que gera uma grande alegria. Foi o que fizeram os alunos do 5º ao 8º anos do Centro Educacional de Timbó, o Cetisa, que visitaram os internos do Centro de Convivência Pommernheim, no dia 07 de abril. “Há alguns anos o Cetisa já faz essa visita, então, mais uma vez, partiu deles a iniciativa de ligar e agendar a vinda deste ano”, explica Fabiana Fragoso, coordenadora de saúde do centro. 

Os alunos confeccionaram antes, já na escola, os cartões com mensagens de Páscoa que seriam entregues aos idosos durante a visita, junto aos mantimentos, como alimentos e produtos de higiene, que foram arrecadados previamente. No dia da visita, os cartões e doações foram entregues e os alunos ainda apresentaram músicas e poesias com mensagens de carinho aos moradores da entidade.

“Uma coisa que percebemos é que, a cada ano, aumenta o número de alunos que participam. Este ano, por exemplo, vieram dois ônibus cheios. Esse envolvimento voluntário por parte deles é algo bastante interessante. Quando estão aqui, podemos perceber a educação dos alunos, a espontaneidade na hora de conversar com os internos. Era tudo muito natural da parte deles, muito bonito de se ver”, pondera a coordenadora. 

O interesse em fazer o bem e dar atenção aos idosos é tanto que a escola já fez o convite para que eles fossem a Timbó, visitar o local e, segundo, Fabiana, o passeio já está sendo programado, para que a troca de experiências continue. 

Este é o principal objetivo de visitas como esta. Trazer companhia aos mais velhos e oferecer experiências aos mais jovens. “A conversa e integração entre estas diferentes gerações é boa, não só para nossos moradores, mas também para os alunos e outras pessoas que fazem a visita. Quem passa por aqui e os conhece, passa a ver a vida de outra maneira”. 

Para agradecer todo o carinho que os estudantes dedicaram aos moradores do Pommernheim, um grupo dos internos também declamou poesias e apresentou a canção “So ein Tag, so wunderschön wie heute” em alemão, cujo estribilho traz a seguinte mensagem: “Um dia tão bonito quanto o de hoje, nunca deve acabar. Um dia no qual somos tão felizes, nunca deveria acabar”. 

Algumas das artistas que fizeram a apresentação, comentaram depois sobre o sentimento que ficou após esta visita. Selma Hausmann foi quem cantou a música em alemão e revela o sentimento que ficou após a visita. “Eu gostei muito de tudo. Os jovens que vieram eram muito queridos”. Ruth Hardt também participou da apresentação da música e, depois, contou aos alunos um pouco de sua hostória. “Gostei muito deles. Eu contei a eles a minha história, de quando estudei em uma escola em Timbó e eles foram muito atenciosos”. 

Helena Germano é uma das poetisas do Centro e fala sobre o que sentiu no momento em que apresentou a sua poesia. “Declamei a poesia com muito carinho, pois isso me lembrou dos meus filhos, quando eles eram pequenos e eu cuidava deles. Foi muito especial para mim”, afirma. 

A coordenadora Fabiana confirma que as visitas fazem muito bem para os internos e agradece às outras instituições que dedicaram um pouco do seu tempo ao Pommernheim, além de reiterar o quanto acrescenta de experiência para os visitantes. “Ter contato com eles aqui torna o processo de envelhecer muito mais leve aos olhos de todos”, finaliza. 

 



Veja também:
Galeria de fotos: 2 fotos









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg