Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Um cardápio diferenciado e saudável

Pesquisa revelou que hábito alimentar com pouco consumo de calorias e gordura pode ajudar a evitar doenças como o Alzheimer e outras demências.

2457ec4f45ae07c61c6b4938823d5ea9.jpg Foto: Divulgação

Se você é fã de dietas, esta pode ser uma boa ideia para quem deseja outros benefícios além do emagrecimento. De acordo com um estudo publicado na “Frontiers in Molecular Neuroscience”, dietas que combinam restrição de calorias com pouco consumo de gordura podem conter o envelhecimento cerebral e ajudar na prevenção de doenças associadas, como Alzheimer e outras demências. 

Outra revelação dos pesquisadores é que estas dietas são relativamente mais eficazes na prevenção do envelhecimento que a prática de atividade física. 

Foi testada pelos pesquisadores a ação da restrição calórica no cérebro de cobaias e descobriram que a dieta desativa a ação da micróglia, uma célula do sistema imune que, quando ativada, pode ajudar a provocar inflamações no cérebro, que levam ao envelhecimento e a problemas no pleno funcionamento neurológico.

O resultado foi obtido após análises do impacto das dietas nos cérebros de ratos de seis meses de idade, em células da micróglia, no hipotálamo, associado à memória. Em uma segunda etapa, os pesquisadores testaram as células de ratos de dois anos de idade, que passaram por um regime de exercícios. 

Ao final, foram feitos novos testes em ratos de dois anos, mas que passaram por dietas restritivas, constando um retardo no envelhecimento de 40%. Com isso, foi constatado que, para ter possível efeito protetor, as dietas com pouca gordura devem ser combinadas com a restrição calórica, ou seja, seguir apenas uma delas não é suficiente.

Além disso, neste teste, em específico, o exercício físico foi menos eficaz que a dieta de restrição calórica significativamente. Porém, outras pesquisas já demonstram que praticar atividades físicas ajuda a reduzir o risco de doenças neurodegenerativas. 

Os pesquisadores afirmam que mais estudos são necessários para avaliar o real impacto das descobertas de maneira direta na prevenção de doenças associadas ao envelhecimento. Por exemplo, se levarmos em conta que os ratos tiveram essas dietas ao longo de toda a sua vida, fica a dúvida de a adoção da dieta já na idade adulta reverteria os impactos de hábitos alimentares anteriores.

 



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Divulgação
Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg