Jornal de Pomerode


Um ano para buscar novas oportunidades

2015 foi um ano de muitas realizações para a Acip, apesar de difícil. Em 2016, segundo o presidente da entidade, o investimento produtivo torna-se mais arriscado, por isso é preciso buscar oportunidades

A atual situação econômica do Brasil vem causando muita preocupação a toda parcela da população que depende do seu próprio trabalho para garantir seu sustento. Sejam empregados ou empresários, estão todos preocupados com os rumos que nossa economia vem tomando nos últimos tempos.


O ano de 2015 foi difícil, principalmente por conta do cenário político-econômico do país. Para a Acip, segundo seu presidente, Ivan Blumenschein, apesar da situação, o ano passado foi também de realizações. "Aumentamos a oferta de serviços, com uma pessoa dedicada na área comercial, melhorando a atenção ao associado e buscando novos serviços em diversas áreas, como análise de crédito, certificação digital dedicada e outros. Depois de termos conseguido concretizar um Natal para a cidade em 2014, conseguimos repetir o mesmo em 2015 com uma Weihnachtsplatz muito mais bonita, com participação das empresas, da Prefeitura e Câmara de Vereadores. Realizamos também diversas idas a Florianópolis para solicitar providências para Segurança, preocupação grande dos associados, em repetidas conversas com Comandante-Geral da PM, Secretário de Segurança Pública e Delegado-Geral, e ficamos contentes de ver que algumas coisas finalmente estão andando, como as câmeras de vigilância", conta.


Além disso, a entidade também teve um envolvimento ativo no pleito pela nova escola do SENAI. "Apesar de todas as dificuldades em relação ao Senai, continua encaminhado, e o envolvimento da ACIP e das Indústrias de Pomerode foi crucial para reverter uma situação delicada. Também participamos nas três manifestações populares contra corrupção e incompetência dos representantes políticos. Organizamos uma comitiva que visitou a região de Vorpommern, estabelecendo ou reforçando laços com as entidades empresariais e outras autoridades nas cidades da região, especialmente as cidades irmãs de Pomerode: Greifswald e Torgelow. A representante da ACIP no Conselho Curador da Fundação Cultural, Darli Bahr, assumiu a presidência desta entidade, e já está fazendo um trabalho digno de admiração, procurando imprimir dinamismo e uma visão empresarial à Fundação", completa.


No ano de 2015 foram ofertados aproximadamente 30 cursos ou palestras para os associados. Outro destaque vai para o apoio à nova Marca de Pomerode, que veio preencher um vazio de uma logomarca gráfica para a cidade, útil para os fabricantes de produtos em Pomerode.


Segundo especialistas, a crise política está agravando a crise econômica. Quanto maior for a destruição da base parlamentar, maior será a incerteza econômica - porque, nesse clima, não tem investimento. E a retomada do crescimento é adiada.
Ivan compartilha dessa opinião e acredita que, neste ano, as incertezas políticas influenciarão na geração de empregos e riquezas, uma vez que decisões ficam em suspenso. "Será um ano difícil economicamente, e sabemos que vários associados estão em situação delicada. Além da economia, em 2015 e neste começo de 2016 vivemos um cenário muito negativo de incertezas políticas. A falta de clareza no cenário político federal, sem saber se a presidente ficará ou não, impede que o empresário possa fazer uma avaliação de médio prazo, e com isso o investimento produtivo torna-se mais arriscado. Com isto, as decisões ficam em suspenso e, sem investimentos, prejudica-se a geração de empregos e de riqueza. Ainda estamos nesta situação, mas acredito ser pouco provável que este impasse possa perdurar muito. Havendo ou não uma mudança de governante, espero que haja um cenário menos nebuloso, e as empresas possam buscar formas de investir novamente, apesar das dificuldades financeiras e de crédito, com frutos a serem colhidos a partir de 2017. Temos também a esperança de que em Pomerode, com sua base industrial, mais empresas possam encontrar formas de aproveitar o câmbio favorável e aumentar as exportações, gerando resultado econômico para o município. O turismo também é um segmento que vem começando a ser explorado mais profissionalmente na cidade e tem bastante potencial de crescer, dinamizando toda a economia da cidade, ainda mais em um ano em que muitos brasileiros das classes A e B que antes viajavam para o exterior estão ficando no Brasil. Ou seja: é também um ano de buscar novas oportunidades", relata.


Para 2016 alguns pontos relevantes serão enaltecidos. "A intenção é sempre melhorar o que estamos fazendo, por isso as linhas-mestras são as mesmas. Alguns pontos relevantes, como treinamentos para os associados, especialmente buscando conhecimentos e ferramentas que possam ser úteis neste cenário adverso que vivenciamos. Além disso, começamos este ano reformulando nossa participação na Festa Pomerana, com um aumento de 50% na quantidade de estandes e um novo layout e decoração, e estamos estudando a possibilidade de realizar uma feira empresarial durante o ano, para estreitar o contato entre as empresas e o público. Queremos, também, estreitar os laços entre empresas de Pomerode e da Alemanha. Existe espaço para que empresas de Pomerode aproveitem os laços com Greifswald e Torgelow para desenvolvimento de pessoal, intercâmbio de profissionais e mesmo parcerias de investimento. Na semana do dia 25 de janeiro virá uma comitiva de empresários alemães, e a ACIP participará com eles de reuniões em Florianópolis e os recepcionaremos aqui na sequência. Estamos trazendo em fevereiro três formandos da Universidade de Greifswald para lecionar alemão nas escolas de Pomerode por cerca de um mês e meio. Trata-se de uma parceria com a Prefeitura Municipal, em que o custeio das passagens será feito pela ACIP. Em março virá o coro e orquestra de Greifswald, e ficará hospedado em Pomerode e se apresentará no Teatro Municipal. Estamos buscando a possibilidade de trazer um funcionário da Associação Empresarial de Greifswald para ficar alguns meses aqui, buscando estreitar estas relações;


- Além disso, há diversos outros projetos que estamos tentando realizar, sempre com o enfoque na empresa associada, tanto do comércio, de serviços quanto da indústria", afirma Ivan.


Este novo ano também encerrará com mudanças. "Nos oito anos que acompanho o trabalho da ACIP, vejo a entidade conseguindo se tornar cada vez mais relevante para o associado. No final deste ano deixo a presidência, contente de participar deste processo, e espero poder continuar contribuindo para que a ACIP seja cada vez mais útil para as empresas e para a cidade. Aproveito para reforçar que a força de uma associação é o somatório da força que cada um de seus associados deposita nela. Por isso, reforço aqui o convite para que as empresas se envolvam na ACIP, participando com ideias, cobranças e ajudando a construir soluções que possam ser úteis às empresas, e que não podem ser construídas por nenhum de nós sozinho", finaliza.



Veja também:
Galeria de fotos: 2 fotos









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg