Jornal de Pomerode


Um amor que resiste às marcas do tempo

Existe uma lenda que diz que quando duas pessoas estão destinadas a ficarem juntas, isto irá acontecer, não importa quanto tempo demore. Parece até história de cinema, mas aconteceu na vida real. Este foi o caso de Regina Baron Weh e Theo Weh, que se se conhecem desde crianças, namoraram na adolescência, passaram décadas separados e, no fim, se casaram, 42 anos depois.

43e3391288b10b54dd23141246b6801d.jpg Foto: Isadora Brehmer/JP

Existe uma lenda que diz que quando duas pessoas estão destinadas a ficarem juntas, isto irá acontecer, não importa quanto tempo demore. Parece até história de cinema, mas aconteceu na vida real.

Este foi o caso de Regina Baron Weh e Theo Weh, que se se conhecem desde crianças, namoraram na adolescência, passaram décadas separados e, no fim, se casaram, 42 anos depois. 

Tudo começou em 1951. A família de Regina se mudou para Pomerode, vinda de Florianópolis, e a família de Theo veio morar na cidade um ano depois. Os dois acabaram se tornando vizinhos e brincavam juntos todos os dias, ele com sete e ela, com seis anos da idade. 

Na escola, Theo reprovou no 3º ano do Primário e, a partir dali, os dois começaram a estudar juntos, situação que se repetiu até o Ginásio, quando Regina permaneceu estudando em Pomerode e ele foi estudar em Blumenau. Mas sempre se viam em Pomerode. “Um episódio eu me lembro. Fui um dia em que bati na porta da sala de aula da Regina, com a desculpa que precisava de ajuda para um trabalho de redação, mas na verdade eu só queria vê-la”, revela Theo, rindo. 

Quando ele fez 17 anos e ela 16, começaram a namorar e sempre arrumavam uma maneira de se encontrar. Porém, a primeira fase do relacionamento acabou no mesmo ano, por causa de uma briga, que segundo o casal, foi por um motivo bobo, do qual eles nem se recordam mais. 

Ambos tentaram ir atrás e consertar as coisas, mas as tentativas não deram certo, e quando ele fez 18 anos, partiu para o Rio de Janeiro pra servir ao Exército. “Nos primeiros meses ele me escrevia, tenho ainda diversas cartas guardadas.Em uma delas, prometeu que viria no Natal daquele ano. Mas, infelizmente, ele não conseguiu dispensa e me escreveu somente um pequeno cartão pedindo desculpas. Só o vi novamente no começo do ano seguinte, em janeiro, quando foi o seu aniversário”, relata Regina. 

Eles se encontraram naquela ocasião e combinaram de se encontrar no baile do extinto Clube Ipiranga, mas ela não pôde ir. O casal só voltaria a se reencontrar 42 anos depois. 

Mas, as notícias de Theo sempre vinham do Rio de Janeiro e Regina ficava sabendo através da mãe dele, que sempre comentava. Em 1966, ela ficou sabendo que Theo havia se casado. “De alguma maneira, algo sempre me fazia pensar nele, uma notícia, uma música, um quadro. O tempo passava, mas ele continuava nos meus pensamentos”, revela a aposentada, com ele admitindo que sempre lembrou dela também.

Em 2005, depois que sua segunda mulher faleceu, Theo decidiu voltar para Pomerode. Veio a primeira vez para cá em outubro, em época de Oktoberfest, e resolveu convidar Regina para acompanhá-lo em uma noite. “Naquela Okberfest que ela me acompanhou nós já ficamos bem próximos de novo e não demorou para voltarmos a namorar e, depois, nos casar”, conta Theo. 

Os planos iniciais para a cerimônia eram que ela se realizasse em janeiro, mas seria complicado marcar na igreja e reunir a família. Então, anteciparam a celebração para dezembro de 2005. Neste momento surgiu outro obstáculo: a documentação. Esta, precisava chegar até o dia 17 de novembro, um mês antes da data pretendida. 

Quando conseguiram marcar na igreja, ficou a expectativa da chegada dos documentos do Rio de Janeiro, que vieram exatamente no dia em que se encerrava o prazo. 

“Acho engraçado como no começo da nossa história, tudo deu meio errado. E, agora, bem no fim, foi uma combinação de0 fatores que deram certo e permitiram a nossa união”, comenta Regina.  O casamento foi realizado no dia 17 de dezembro, e, em 2017, o casal completa 12 anos de união e 56 anos de amor.



Veja também:
Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Isadora Brehmer/JP









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg