Jornal de Pomerode

Edição Impressa



TRE-SC estima concluir apuração no 2º turno até às 20 horas

A expectativa da Justiça Eleitoral é que o número menor de cargos em que o eleitor vai votar (dois), quando comparado com o primeiro turno (foram seis cargos), tende a tornar a votação mais ágil

863fabad31f77c3a31b5beccfbfbd2de.jpg Foto: Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina (TRE-SC) estima concluir a apuração e totalização dos votos, no segundo turno das Eleições 2018, até às 20 horas de domingo, 28 de outubro. A expectativa da Justiça Eleitoral é que o número menor de cargos em que o eleitor vai votar (dois), quando comparado com o primeiro turno (foram seis cargos), tende a tornar a votação mais ágil.

“Nossa expectativa é que os trabalhos transcorram com mais tranquilidade, porque serão só dois cargos para votar. Isso faz com que o tempo para votação seja mais rápido”, afirma a secretária da Corregedoria do TRE-SC, Renata de Fáveri. “Reforçamos a orientação para que os mesários orientem o eleitor que o voto tem que ser digitado com mais calma, pois são só dois cargos. Ele deve conferir os dados do candidatos, esperar aparecer os dados e as fotos, até porque, sempre é possível corrigir o voto”.

Renata esclarece que toda a estrutura da Justiça Eleitoral estará de plantão no dia da votação para tirar as dúvidas dos eleitores. Os interessados também podem recorrer ao site do tribunal e ao Disque Eleitor (0800-647-3888) para informações sobre a votação.

Urnas 

Na manhã de terça-feira, dia 23, o TRE realizou testes de segurança com as urnas em que, supostamente, teriam ocorrido problemas no primeiro turno, conforme relatos de eleitores. Os testes foram acompanhados por jornalistas, autoridades judiciárias, representantes dos candidatos e por eleitores que fizeram as reclamações.

Renata reiterou que o eleitor que suspeitar de problemas com a urna, no dia da votação, deve avisar o mesário e fazer o registro da ocorrência na ata da seção eleitoral. Todas essas atas, conforme ela, são analisadas. “Analisamos as atas das seções onde houve registros de supostos problemas. Todas as urnas foram conferidas e não tivemos nenhum problema comprovado”, afirmou.

A leitura das impressões digitais, utilizada para a identificação biométrica na hora da votação, também foi alvo de reclamações por parte de eleitores, no primeiro turno. A corregedora do tribunal explica que, mesmo que a digital não seja reconhecida, o eleitor poderá votar.

“A leitura da digital pode ser afetada por vários fatores. Por isso, no dia da eleição, pode haver uma dificuldade. Os mesários estão cientes disso e vão solicitar a documentação e que o eleitor dê outras informações para uma conferência maior. Nenhum eleitor deixa de votar por não ter a digital reconhecida”, garantiu.

 

Fonte: Agência AL



Veja também:









Publicidade

  • 
    40eea598239df4ba8fefa63810b76c18.jpg