Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Torneio nacional de basquete se consolida na mídia do Brasil

Em meio às finais da temporada, entre Paulistano e Mogi, o Ibope Repucom destaca a consolidação da Liga Nacional de Basquete (NBB) como um dos principais torneios esportivos em volume de horas dedicadas em transmissões ao vivo no país.

bec146e4ac94b1753a0de0fa092a37d7.jpg Foto: Divulgação

Em meio às finais da temporada, entre Paulistano e Mogi, o Ibope Repucom destaca a consolidação da Liga Nacional de Basquete (NBB) como um dos principais torneios esportivos em volume de horas dedicadas em transmissões ao vivo no país. Segundo levantamento do instituto, a competição vem ampliando o seu volume de horas de transmissão em cerca de 30% ao ano.

Em comparação com as principais modalidades esportivas, o basquete masculino é a segunda modalidade com maior volume em TV aberta, totalizando 78 horas em 2017, atrás apenas do futebol. Se considerarmos TV aberta e fechada, o esporte ostenta a terceira posição em volume de horas transmitidas, somando mais de 600 horas no ar.

Levando em consideração somente a NBB, entre jogos ao vivo e reprises em TV aberta e fechada, o torneio acumulou quase 200 horas de transmissão em 2015. Em 2017, este volume avançou 69% e alcançou 335 horas dedicadas, sendo 70% deste volume em transmissões ao vivo. Sem considerar os torneios de futebol, a NBB foi o segundo evento esportivo com maior volume de transmissões (98) e com maior volume de horas dedicadas (230) em 2017.

A evolução na oferta de transmissões pode ter causado o impacto positivo no aumento de interessados pelo evento nos últimos anos. De acordo com dados da Sponsorlink, pesquisa especializada nos hábitos e comportamento dos fãs de esportes, o volume passou de 20% da população conectada, em 2013, para 24% em 2017, uma evolução de 20% no volume de fãs da NBB. “A NBB, apoiada na organização e profissionalização do torneio conquista cada vez mais espaço na mídia e na preferência dos fãs da modalidade. E para os fãs de NBB, o basquete chega a ser um lifestyle. Segundo dados da Sponsorlink, os fãs tendem a praticar três vezes mais basquete do que a média, 17% dos fãs da NBB declararam praticar basquete, enquanto apenas 5% dos brasileiros conectados têm esse hábito”, comenta José Colagrossi, diretor executivo do Ibope Repucom.



Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg