Jornal de Pomerode


Surto de impetigo assusta Santa Catarina

Doença cutânea deixa mais de 1,4 mil crianças sem aula no estado

Ela até pode ter a ver com mosquito, mas não é zika. Trata-se do surto de impetigo, doença cutânea facilitada pela presença de picadas e lesões na pele. A epidemia está preocupando as autoridades de uma cidade no sul de Santa Catarina, que resolveram tomar uma atitude para combater um contágio maior.


A localidade de Imuraí decidiu cancelar as aulas em noves escolas da rede municipal de ensino. Ao todo, cerca de 1,4 mil crianças estão sem poder frequentar a escola desde segunda, dia 18, e assim permanecerão até a próxima segunda-feira, 25. De acordo com a secretaria de educação local, pelo menos 60 casos da doença já foram confirmados.

 

Características do impetigo - A medida tomada pelas autoridades de Imuraí é fundamental para ajudar a conter o surto de impetigo. A doença bacteriana atinge especialmente as crianças, que estão mais suscetíveis a quedas, traumas e inflamações.


A contaminação ocorre pela exposição ao Staphylococcus aureuse ou ao Streptococcus pyogenes, por meio do contato com feridas de alguém que possua a doença. Uso compartilhado de roupas íntimas, toalhas, lençóis ou brinquedos também são causas comuns.


Pessoas com dermatite atópica, enfisemas e escabiose formam o principal grupo de risco para o desenvolvimento do impetigo, assim como pacientes que apresentem imunodeficiência, diabetes e deficiência renal.


Entre os principais sintomas que você deve observar no seu filho, estão:


- Pele avermelhada
- Pústulas com pus e que coçam
- Vazamento de pus e formação de crostas em feridas
- Erupções cutâneas que se espalham pelo corpo
- Lesões dermatológicas, principalmente no rosto, nos lábios, nos braços e nas pernas.


Ao identificar qualquer um desses sinais, é importante procurar um médico para o diagnóstico. Segundo o membro do Departamento de Infectologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo (SPSP) Eduardo Palandri, o tratamento dura cerca de dez dias, mas depende da forma em que a dermatose se apresenta.


"Se for simples, sem bolhas, a intervenção é local, com aplicação de pomadas de antibióticos. Já para as manifestações mais profundas, o procedimento é sistêmico, com administração via oral", explica o pediatra.

 

Prevenção contra o surto de impetigo - Quando não tratado adequadamente, o impetigo pode resultar em complicações. Entre as consequências, estão a criação de um abscesso - acúmulo de pus que provoca inchaço - ou uma celulite, um anticorpo criado pelo organismo, que pode se depositar no rim, causando o desenvolvimento de uma glomerulonefrite difusa aguda (GNDA).


A melhor maneira de evitar esses problemas é a prevenção. Como a doença está ligada, mesmo que indiretamente, aos mosquitos, a dica do especialista é cuidar das lesões causadas por esses insetos.


"A criança portadora da bactéria é picada por um pernilongo e coça o local, facilitando a entrada desse germe na região subcutânea, tornando-se propícia para o desenvolvimento da doença. Não coçar é uma forma de prevenção", finaliza.
A Organização Mundial da Saúde informa que a maior concentração de pessoas infectadas está nos países em desenvolvimento, devido às condições precárias de saneamento. A higiene pessoal também é uma maneira de evitar a infecção e a contaminação.

 



Veja também:
Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Foto: Divulgação









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg