Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Setor têxtil apoia o movimento “Compre de SC”

Selo tem como objetivo valorizar os produtos feitos no estado.

e52be0ad33b1fdfa1d58f45cffbd28e6.jpg Foto: Secom

Lançado no último dia 8 de junho pelo governador Eduardo Pinho Moreira o movimento “Compre de SC” ganha, a cada dia, mais adesões. De prefeituras, a entidades empresariais e empresas dos mais diferentes setores produtivos, cresce o apoio pelo consumo de produtos catarinenses e consequente fortalecimento da economia de Santa Catarina. “Temos produtos que agradam a todos os gostos, paladares, uma indústria diversificada e de qualidade, então por que não dar preferência aos produtos catarinenses?”, argumentou o governador durante o lançamento do movimento.

Setor Têxtil e Confecção 

Responsável por 21,8% dos empregos da indústria catarinense, empregando mais de 160 mil trabalhadores, o setor de têxtil e confecção é importantíssimo para o Estado. Entre os municípios que se destacam na atividade estão Blumenau, Brusque e Jaraguá do Sul. O Vale do Itajaí representa 57,6% do setor.

“Comprar produtos têxteis de Santa Catarina significa estar comprando um ótimo produto”, afirma José Altino Comper, presidente do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (Sintex).

Apoio à campanha

A campanha “Compre de SC” recebeu apoio e elogios pelos produtores têxteis que sabem a vantagem de ter os produtos em evidência no mercado interno e externo. “Santa Catarina é um Estado diferenciado em tudo o que produz. Valorizar o comércio e o consumo dos produtos catarinenses só vai deixar cada vez maior a riqueza do que é produzido dentro do próprio estado. Isso vai gerar mais impostos e nos desenvolver cada dia mais”, ressalta Comper.

Ilton Rogério Parnovski, vice-presidente da empresa Altenburg, especializada em produtos para cama, mesa e banho, exalta a iniciativa da campanha, para ajudar a recuperar as indústrias após a crise que atingiu o Brasil. “Nós apoiamos essa campanha ‘Compre de SC’. Em primeiro lugar nós estamos preservando e contribuindo para o aumento dos empregos das indústrias em Santa Catarina, não só as têxteis, mas todas as indústrias. O que mais gera riqueza para o Estado, para uma cidade, é a geração de empregos. Na medida em que a gente for gerando mais empregos, vamos gerar mais riqueza. E para gerar mais empregos, as empresas de Santa Catarina precisam vender mais”.

Parnovski também destaca positivamente a atuação das empresas em todo o Brasil. “Santa Catarina é uma marca muito forte. Dá para perceber isso quando você vem lá de fora e ao olharmos a percepção dos cidadãos dos outros Estados. Santa Catarina tem a tradição da qualidade da indústria têxtil, da indústria de confecção, da porcelana, do cristal, do piso, das carnes, enfim, é um Estado riquíssimo, e eu penso que essa estratégia está acertadíssima. Tem que fazer campanha mesmo, porque somos um Estado privilegiado nessa diversão de cultura e de competência econômica”, complementa.



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg