Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Secretário de Saúde participa de congresso estadual

Evento reúne as 295 secretarias municipais de saúde de Santa Catarina para a troca de conhecimento.

b36058f684845e00969cddd5a4923776.jpg Foto: Divulgação

O Secretário Municipal de Saúde, Dr. Marcos Bonmann, e a enfermeira, Loraine Aurélio, que responde pelo Setor Administrativo Financeiro da Sesa, representaram o município no 68º Congresso de Secretarias Municipais de Saúde, realizado entre os dias 02 e 04 de maio, em Chapecó, no qual, as 295 Secretárias Municipais do Estado se fizeram presentes, além de representantes da Secretaria de Estado da Saúde e do Ministério da Saúde.

O objetivo do evento é a troca de informações entre Secretários e Secretarias com representantes técnicos das esferas estadual e federal. Neste encontro, os tópicos desenvolvidos foram a nova modalidade de repasse do financiamento do SUS, a interface do planejamento, o Plano Nacional de Atenção Básica, informações em saúde estratégia digisus/e-saúde, política de regulação no SUS em Santa Catarina e os consórcios, e atualizações na gestão da Assistência Farmacêutica.

O novo secretário de Saúde de Pomerode, diante do que foi apresentado no Congresso e do que pôde perceber em seus primeiros dias à frente da Pasta, afirmou que muitos desafios estão por vir. “Avaliando o quadro nacional relacionado ao financiamento da saúde e demonstrado no Congresso, vislumbro que teremos grandes desafios à frente. O cenário é de pessimismo, visto que três fatores recentes são os principais responsáveis por esta situação atual da saúde, a crise econômica, a Emenda Constitucional 95/2016, que define teto de aplicação de recursos federais na saúde por 20 anos, volume de recursos direcionados ao Sistema Único de Saúde (SUS) e as migrações internas no país”, coloca o secretário.

Segundo Bonmann, a crise afeta, de forma indireta, a qualidade do atendimento nas instituições públicas de Saúde. “Isso porque o aumento do desemprego faz com que cresça o número de pessoas que deixam de pagar convênio médico e migram para o sistema gratuito, inflando, ainda mais o serviço”.

A saúde em Pomerode - O médico explica que, em Pomerode, a gestão investe 25% do orçamento na saúde, mas que, mesmo assim, os recursos são insuficientes. “Em nível estadual, temos cerca de 10 meses de atrasos nos recursos, o que faz o município pegar os recursos próprios para investir em saúde, acarretando dificuldades do município investir em rede de esgoto, pavimentação, por exemplo”, ressalta o secretário.

Ele admitiu que a realidade da Secretaria de Saúde de Pomerode é enxuta, com profissionais capacitados, porém, sobrecarregados. A pasta está buscando parcerias dentro dos Consórcios, Emendas Parlamentares com recursos direcionados para as áreas de gargalo, apoio da Câmara de Vereadores e racionalização de gastos dentro da própria secretaria. 

“Como gestores municipais e como parceiros da área da saúde no município, teremos uma dura tarefa pela frente, mas a equipe da pasta está preparada para as dificuldades, pois todos têm a ciência e concordância que não é fácil fazer saúde em nosso país e que, com certeza, cada um está se doando e fazendo o seu melhor”, finaliza Bonmann.



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Divulgação Divulgação
Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg