Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Secretaria de Saúde esclarece caso da vacinação contra a poliomielite

A Secretaria de Saúde de Pomerode, após a repercussão de reportagens sobre os índices de vacinação contra a poliomielite, veiculadas nesta quarta-feira, 04 de julho, divulgou um esclarecimento sobre o assunto, por meio de nota

9ba08d2439cb8de2d521fb7a0a4886bd.jpg Foto: Divulgação

Segundo a Vigilância Epidemiológica, responsável pela imunização na cidade, a cobertura vacinal contra a poliomielite em Pomerode é de 95,35%. A base utilizada é a de nascidos vivos no ano de 2017, que foram 409 e o número de crianças menores de um ano vacinadas contra a poliomielite, que somam 390.

A técnica em enfermagem e responsável pela Vigilância Epidemiológica, Simone Steffens da Silva, explicou que, até meados de 2016, fazia-se um fechamento mensal de doses aplicadas de vacinas e estes números eram cadastrados diretamente em um site do Ministério da Saúde, contando apenas as doses já aplicadas.

Mas em 2016, de acordo com Simone, o Ministério da Saúde passou a disponibilizar o Sistema Informatizado do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) e esse sistema não recebe apenas os números, como também identifica a pessoa vacinada. Ele tem como objetivo manter uma plataforma nacional de dados de imunização, evitando que a pessoa seja obrigada a repetir esquemas vacinas por perda da carteira de vacinação.

Porém, o município utiliza o sistema próprio, o Olostech e no final de cada mês, esses dados são transferidos para o Ministérios da Saúde, quando ocorrem os problemas. “Através de diversos relatórios, podemos verificar que os dados são exportados, mas não sabemos por que motivo não chegam à base federal. Após várias reuniões com a Olostech e Gerência Regional de Saúde, concluímos, em maio deste ano, que o problema está relacionado ao número do cartão nacional de saúde. Quando o cadastro do paciente na Olostech está com registro de CNS provisório ou desatualizado, a informação não é transferida”, esclarece Simone.

A situação do desencontro de informações entre o Ministério da Saúde e a Secretaria Municipal está sendo tratada da pasta da saúde como prioridade e os profissionais da área, em conjunto com a gestão municipal, estão estudando qual seria a melhor alternativa para resolver o caso, sem que seja necessário criar mais demandas para os profissionais que atuam na área da saúde.

Simone finaliza ressaltando que Pomerode, hoje, tem uma cobertura adequada, atingindo o estipulado pelo Ministério da Saúde, com 95,35% de cobertura, segundo o balanço mais recente, tendo como ano-base 2017.



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Divulgação
Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg