Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Rinite Alérgica: um verdadeiro incômodo

É comum a associação de alergia ocular, como coceira nos olhos, olhos vermelhos, lacrimejamento e inchaço nas pálpebras. Também pode associar-se coceira na garganta e no céu da boca, além de fungação.

A Rinite Alérgica é caracterizada por inflamação da mucosa nasal mediada por anticorpos da classe IGE. Manifesta-se por espirros frequentes, congestão, nasal, secreção branca ou transparente e prurido (coceira). 

É comum a associação de alergia ocular, como coceira nos olhos, olhos vermelhos, lacrimejamento e inchaço nas pálpebras. Também pode associar-se coceira na garganta e no céu da boca, além de fungação.

Crianças com rinite, podem ter distúrbios do sono, limitações nas atividades, irritabilidade e interferência no aproveitamento escolar.

Os pacientes com Rinite Alérgica podem ser divididos em dois grandes grupos: 

1- Aonde há predomínio da obstrução nasal (congestionados), usa-se descongestionante nasal. 
2- Aonde o ar passa pelo nariz, mas predomina a coceira e a secreção nasal, usa-se mais os anti-histamínicos.

Esta divisão ajuda na escolha do medicamento. As doenças alérgicas também são divididas em perenes e sazonais. 

As perenes, por sua vez, são as mais comuns, e os sintomas em geral são contínuos, mas sem um padrão rígido de ocorrência. O principal causador é o acaro dermatophagoides pteronyssinus, além da blomia tropicalis, encontrados em ambientes como nas escolas e outros ambientes públicos.

O pelo de animais, como do cão e gato, assim como os alergênicos, originados na saliva, glândulas sebáceas e descamação do epitélio, podem dispersar-se no ar e causar alergias respiratórias.  

Em algumas populações devem ser considerados os domiciliares como fatores alergênicos. Cerca de 25% das crianças asmáticas são sensibilizadas à alergênicos de baratas. 

A alergia sazonal surge periodicamente nos meses de setembro a dezembro, época da polinização de gramíneas, em geral. 

Além da ocorrência de rinite, uma característica e a conjuntivite alérgica, presente em 97% dos casos, assim como também ocorre associação, como a asma sazonal. 
Então, resumindo:

Rino conjuntivite alérgica:  
1- Prurido Nasal (coceira)
2- Prurido Ocular 
3- Crises de Espirro 
4- Lacrimejamento 
5- Secreção Nasal Clara
6- Vermelhidão de Onjuntiva 
7- Obstrução Nasal (nariz trancado) 
8- Coceira na garganta 
9- Fungação
10- Edema de Pálpebras (Inchaço). 

O tratamento baseia-se em - evitar o contato quando possível o uso de medicação tópica ou sistêmica, sejam elas nasais e/ou oculares ou sistêmicos, por via oral ou injetável e Imunoterapia em casos mais graves. 

Medicações usadas – cromoglicato sodico solução nasal, aerossol, capsulas e ampolas, brometo de ipatropio ( atrovent ), azelastina aerossol .

Em casos mais graves usa-se corticoide tópico, associado ao montelucaste sódico, que funciona muito bem como preventivo.


Dra. Jane Carla Hasse - Pediatra e Medicina de adolescentes. 
 



Veja também:









Publicidade

  • 
    eb224b55631b8f403d168a912e1f6fb6.jpg4b580c53dad677f2141dea5ad908465d.jpg