Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Primeira oficina de Teufelsgeige em Pomerode

Evento foi realizado na escola de Tornearia, dentro do Centro Cultural da cidade. Cerca de 10 pessoas, despertadas pelo interesse em confeccionar o instrumento, participaram. Para a montagem do Teufelsgeige, são necessários materiais básicos e que podem ser reaproveitados

4f352590797173b2ec4187b970abf6c9.jpg Foto: Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode

A tarde de sábado, no Centro Cultural de Pomerode, não foi só o palco da 3ª Weihnachtsfest, mas também, foi o local da primeira oficina de confecção de Teufelsgeige, o popular “Violino do Diabo”.

Cerca de 10 pessoas, despertadas pelo interesse em confeccionar o instrumento, participaram do evento, realizado na Escola de Tornearia, que fica no Centro Cultural. Para a montagem do Teufelsgeige, são necessários materiais básicos e que podem ser reaproveitados, como panelas antigas, madeiras e cordas de aço.

Loreno Buss, músico e organizador do evento, conta que cada instrumento tem suas características e que cada um pode fazer da sua maneira.

“É um instrumento muito fácil de fazer, pois é de baixo orçamento, podendo ser usados materiais antigos e baratos. O mais legal, é que cada um possui uma decoração própria, feita por cada tocador de Teufelsgeige, o que deixa aquela sensação boa de apego pelo apetrecho”, comenta Buss.

O músico ouviu falar do instrumento musical, há quatro anos, quando viu uma apresentação da banda Hausmusikanten. Com isso, surgiu o interesse pelo Teufelsgeige.

“Depois que eu assisti aquele show do Hausmusikanten e vi pela primeira vez o instrumento, tive curiosidade de saber mais sobre ele. E, foi aí que descobri que a fabricação do Teufelsgeige era única e que cada um tinha que ter o seu. A partir daí, comecei a procurar sobre e descobri que ele é de origem germânica”, explica. 

Buss confeccionou o seu primeiro Teufelsgeige em 2015 e participou do desfile da Festa Pomerana, daquele ano. Para fabricar o instrumento, ele utilizou um pedaço de madeira que havia sobrado da construção de sua casa. Mas, foi em 2017 que o “Violino do Diabo”, ficou em ascensão na cidade, após o primeiro encontro de tocadores de Teufelsgeige, realizado durante a 35ª Festa Pomerana. 

Nele, muitas pessoas foram ao encontro do músico, para questioná-lo sobre o instrumento e onde poderiam encontrar para compra. Buss tinha que explicar que, para ter o violino, era necessário confeccionar o próprio. E, neste ano, teve a ideia de colocar a oficina em prática.

O músico destaca que o evento tem como objetivo, difundir ainda mais, a cultura alemã, em Pomerode.

“É muito legal ver que o pessoal mostrou interesse em confeccionar um instrumento que é típico da Alemanha. Isso mostra a vontade dessas pessoas em manter a nossa cultura, procurando sempre valorizar os traços e raízes germânicas, que estão em nosso sangue”, relata.

Sobre o Teufelsgeige 

Mesmo com Violino no nome, geralmente, o Teufelsgeige é usado como instrumento de percussão, acompanhando os toques do acordeão, bandoneion e outros que são usados nas músicas típicas alemãs.

De origem alemã, o violino é bastante conhecido em território germânico e na Suíça, usado em festas populares, particulares e, principalmente, no Carnaval da Alemanha, que é uma tradição por lá.



Galeria de fotos: 7 fotos
Créditos: Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode Raphael Carrasco/JP Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode Raphael Carrasco/Jornal de Pomerode
Localização:

Centro Cultural de Pomerode

Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg