Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Presente especial para um amor especial

Professora presenteia aluno com miniatura do ônibus da Volkmann, baseada no gosto do menino, de apenas dois anos, pela profissão do pai, motorista da empresa.

c6c847eb850c6bdeca570208ec1a09c0.jpg Foto: Divulgação

Desejar marcar a vida de um aluno como ele lhe marcou, de alguma forma. Esta foi a intenção da professora da turma Creche 1 do C.E.I. Reimar Ehlert, Tainara Baumgarten Schuldt, ao presentear seu ex-aluno, Heitor Vieira, de apenas dois anos, com uma representação de um ônibus personalizado da Volkmann, feito com MDF. 

A ideia surgiu devido ao fato de o pai de Heitor, Everton Vieira, ser motorista de ônibus da empresa Turismo Volkmann e, por isso, o menino sempre teve contato com este universo. 

“O Heitor sempre observa os ônibus passarem e fica fascinado. Ele vinha de ônibus para a creche com a mãe, Denise Vieira, no veículo do pai. Então, ele estava totalmente ligado a este universo e adora. Por isso, no aniversário dele, em março deste ano, quis dar algo que tivesse algum significado, foi quando pensei no ônibus personalizado”, relata a professora.

A mãe de Heitor comenta que o filho era só alegria depois de receber o presente de Tainara. “Ele quase não solta mais o ônibus, de tanto que ele gostou. O Heitor quase não fala ainda, mas entende praticamente tudo de ônibus, como o pai faz quando dirige, o barulho do veículo, é muito legal ver isso”, afirma.

Tamanha preocupação em dar algo especial e que fosse marcante para o menino se deve ao fato de, desde cedo, Tainara ter criado uma relação muito próxima com Heitor e sua família. “O Heitor foi o primeiro aluno do berçário que eu acompanhei desde o início. Fui eu quem o recepcionou na creche e quem acompanhou a sua adaptação ao local e à rotina. Isso fez com que eu o amasse”, explica Tainara.

A professora recebeu o aluno em 2016 e permaneceu convivendo diariamente com ele durante aquele ano. Porém, a relação continuou próxima, mesmo após o Heitor passar para a próxima turma e deixar de ser aluno de Tainara, até porque a professora manteve uma relação próxima, também, com os pais do menino.

“Em 2017 e neste ano, mesmo não sendo mais professora do Heitor, quando ele chega na creche, sou sempre eu que recepciono ele, isso se tornou uma rotina. Tanto que, quando eu precisei ficar internada por causa do risco da minha gravidez, no primeiro dia quando o Heitor chegou à escola e não foi recebido por mim, ele sentiu muito a falta”, comenta.

Além de alegrar Heitor, que adorou o presente, segundo os pais, o ônibus acabou se tornando um reconhecimento pelo trabalho do pai, que, inclusive, levou o brinquedo até a empresa Volkmann para mostrar aos colegas e superiores a ideia.

“Fiquei bastante impressionada com a repercussão que a nossa história teve, na creche, na Volkmann e, agora, que terá na cidade. Realmente, não esperava esse retorno e fico bem feliz com isso. Mas fico mais feliz ainda em ter deixado o Heitor contente, porque, realmente, o amo muito. Os professores de educação infantil normalmente têm o lado emocional mais aflorado. Têm crianças que passam pelas turmas e marcam a vida dos professores para sempre, e, para mim, Heitor é um destes alunos. É uma relação de amor recíproca e o reconhecimento deste amor dá motivação para continuar sempre dando mais amor”, finaliza a professora.

 



Galeria de fotos: 3 fotos
Créditos: Divulgação Divulgação Divulgação
Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg