Jornal de Pomerode


Presente de Natal

Após 30 anos distantes, mãe e filha se reencontram e celebram datas comemorativas juntas

IMG-20161225-WA0002.jpg Foto: Divulgação

Nada melhor para começar bem um ano do que uma história que prova que ainda vale a pena ter esperança. É o caso de Marlene Marisa Wolfart e sua mãe, Dona Nelsi Ilse Wolfart, que se reencontraram depois de mais de 30 anos separadas. 

Marlene era a única mulher entre seis irmãos. Quando o marido morreu, Dona Nelsi, sozinha, não tinha condições de criar os seis filhos, por isso eles foram criados por tios e avós. Apenas os gêmeos, Paulo Sérgio e Paulinho ficaram com a mãe. 

Os irmãos que moravam mais perto conseguiam manter contato ao longo dos anos, mas Marlene foi a que mais se distanciou de casa, indo para o outro extremo do país.
Inicialmente, não era a menina que deveria ter ido para longe, mas sim um do irmãos, que não quis ir. Então quem teve de ser criada pelos tios longe de casa foi Marlene. 

A família com a qual ficou foi para o Paraná, pois o tio trabalhava na construção de uma barragem. Quando o trabalho acabou, a família se mudou para Tucuruí, no Pará. Uma distância de mais de três mil quilômetros separava mãe e filha. 

Ela chegou a voltar em duas ocasiões, mas Marlene não se recorda de muitos detalhes, porque as visitas foram muito rápidas. 

Os anos foram passando, Marlene construiu a própria família e sua mãe seguiu a vida. Dona Nelsi se casou de novo e teve mais dois filhos, Marli e Alberto. Mas, a vontade de reunir a família toda novamente sempre permaneceu. "Sempre tive a vontade de voltar, mas era tanta coisa no dia a dia, que acabei sempre empurrando para frente."

O primeiro contato com a família foi feito através do Facebook. Os filhos de Marlene, então, vieram primeiro, de surpresa e, na volta, ela decidiu que viria reencontrar a mãe, sem adiar ainda mais.  "Deus é que estava preparando", ela conta.

Ela criou coragem e botou o pé na estrada, junto da sua família, e de carro vieram ao encontro de Dona Nelsi. Foram quase três dias de viagem. E no dia 24 de dezembro, véspera de Natal, o momento do reencontro finalmente chegou. 

"É uma grande alegria, não esperava ter encontrado-a", disse Dona Nelsi, emocionada. Ela conta que foi um momento muito triste, quando teve que ver a filha ir para longe, com apenas seis anos. E foi graças à companhia dos gêmeos que Dona Nelsi manteve as forças. Mesmo acreditando no reencontro, ela custou a crer que estava para acontecer. "Eu disse que só ia ter certeza quando visse a Marlene aqui".

Quando finalmente as duas se reencontraram, o momento foi extremamente emocionante. O abraço forte, repleto de saudade. Depois de rever a mãe, Marlene revela que sempre acreditou que esse momento chegaria. "Sempre penso que tudo é da vontade de Deus. Quando ele quis que acontecesse, aconteceu. E isso é o bom da vida, a família, isso que importa. O resto é resto".

A família não quer mais perder o contato e, por isso, já pensa em novos encontros, inclusive querendo que Dona Nelsi faça uma viagem para Tucuruí e visite a casa da filha.



Veja também:
Galeria de fotos: 2 fotos









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg