Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Pomerodenses são destaque na Olimpíada Regional de Matemática

João Pedro Tambosi e Emanuelle Piovezana conquistaram, respectivamente, ouro e prata no concurso. A premiação dos alunos que conquistaram medalhas na Olimpíada Regional de Matemática será no dia 01 de dezembro, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

4be116a6cebeea317404112bc7900d0e.jpg Foto: Arquivo JP

Há vários anos, alunos pomerodenses têm sido destaque em concursos relacionados à matemática, conquistando diversas medalhas de ouro, prata e bronze, além de inúmeras menções honrosas. E, mais uma vez, quatro alunos orgulharam a cidade obtendo resultados expressivos na Olimpíada Regional de Matemática (ORM).

João Pedro Tambosi, de 14 anos, aluno do 9º da EBM Dr. Amadeu da Luz, conquistou mais uma medalha de ouro para a sua coleção. Além dele, Emanuelle Piovezana, também de 14 anos, estudante do Colégio Doutor Blumenau, do 9º ano, obteve a medalha de prata na prova, e as alunas Pâmela Eduarda Rahn e Stefani Luana Siewerdt, da Amadeu, foram Menção Honrosa na ORM.

João, que já participa da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) desde quando estudava no 6º ano, revela que a ORM é nova para ele, e fez a prova somente neste ano, motivado pelo desejo de se classificar para fazer a Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM).

“O nível de dificuldade é um pouco maior do que o da Obmep. Para me preparar para esta prova, eu fazia alguns treinamentos às quintas-feiras na UFSC e estudava bastante em casa, também. Estas eram as duas formas principais”, comenta o estudante.

Já Emanuelle começou a desenvolver o seu gosto pela matemática quando estava no 8º ano, ao participar do Núcleo de Matemática do Colégio e, em 2018, havia feito somente a prova da Olimpíada Canguru da Matemática, na qual também foi medalha de prata, mesmo resultado de João Tambosi. A menina comenta que ficou surpresa e muito contente com o resultado obtido.

“Fiz a 1ª fase na escola sem saber antes que faria a prova e acabei me classificando para a próxima fase, o que foi uma surpresa, também. A 2ª fase da Olimpíada foi em Blumenau e também foi surpreendente ganhar a medalha de prata e me classificar para fazer a prova da Olimpíada Brasileira de Matemática”, afirma Emanuelle.

Ambos os alunos enaltecem que grande parte do sucesso obtido com a matemática se deu através da ajuda vinda dos professores, Maria Cristina Dallmann, na EBM Dr. Amadeu da Luz, e Wilson Hafemann, no Colégio Sinodal Doutor Blumenau. 

“Comecei a gostar de matemática principalmente por causa do Wilson, foi uma influência muito positiva na minha vida. Além disso, em 2017 participava do Clube de Leitura e a professora Silvana Wiggers, de Língua Portuguesa, sempre me incentivou a ler vários livros e acho que, na Olimpíada, além do conhecimento técnico da matemática, é preciso ter uma boa interpretação. Neste ponto, eu acho que a leitura me ajudou muito”, pondera a aluna.

“Eu devo tudo à Maria Cristina, professora de matemática e à Obmep. Foi pelo incentivo dela e pelas provas da Olimpíada que cheguei onde estou”, afirma João.
Emanuelle admitiu que, no dia de fazer a 2ª fase da ORM, ficou muito nervosa, mas tudo correu bem. “O estado emocional também influencia bastante. A segunda fase tinha data marcada e eu fiquei na expectativa se ia passar ou não. Eu me pressiono muito, exijo muito de mim, e não sabia se passaria ou não, e quando veio o resultado eu fiquei muito, muito feliz. Era o que eu queria, coloquei como meta passar nesta prova”, ressalta, acrescentando que pretende, ainda, fazer outras 
provas do tipo concurso.

Já João, conta que a principal dificuldade é conciliar as diversas atividades que pratica no dia a dia, como por exemplo o Karatê. “Conciliar estudos específicos para as olimpíadas, estudos normais e esporte, agora, está um pouco mais fácil, porque não tem mais outros concursos que eu estava fazendo este ano, mas ainda é complicado, principalmente porque a prova da OBM tem um nível bem mais elevado. Há olimpíadas internacionais que são mais fáceis, então exige foco máximo”, coloca.

A premiação dos alunos que conquistaram medalhas na Olimpíada Regional de Matemática será no dia 01 de dezembro, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A prova da Olimpíada Brasileira de Matemática, por sua vez, será em 13 e 14 de novembro.

 



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Isadora Brehmer/JP Arquivo JP
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg