Domingo, 22 de Setembro de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 19Cº / Min 11°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Pomerodenses conquistam medalhas na Olimpíada Canguru de Matemática

A prova foi aplicada em todo o País, nos dias 21, 23 e 24 de março e, em Pomerode, ela foi feita na Escola Básica Municipal Dr. Amadeu da Luz, com estudantes do 4º ao 9º ano, e no Colégio Sinodal Doutor Blumenau, com alunos do 3º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Médio

4200401997619d6fe9d03c83e1a0b6f1.jpg Foto: Isadora Brehmer / Jornal de Pomerode

Não é de hoje que a educação pomerodense chama a atenção, devido a resultados obtidos em provas nacionais, das mais diversas áreas de conhecimento. E, mais uma vez, alunos da cidade fizeram bonito em uma prova de matemática, que engloba estudantes de todo o país: a Olimpíada Canguru de Matemática.

A prova foi aplicada em todo o País, nos dias 21, 23 e 24 de março e, em Pomerode, ela foi feita na Escola Básica Municipal Dr. Amadeu da Luz, com estudantes do 4º ao 9º ano, e no Colégio Sinodal Doutor Blumenau, com alunos do 3º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Médio.

E, mais uma vez, a E.B.M. Dr. Amadeu da Luz se destacou no âmbito da Matemática, com quatro alunos sendo medalhistas de ouro no concurso, além de um medalhista de prata, quatro de bronze e nove estudantes agraciados com Honra ao Mérito. Já no Colégio Doutor, foram cinco medalhistas de prata, 11 de bronze e 12 que conquistaram Honra ao Mérito.

Nós conversamos com os quatro medalhistas de ouro da Amadeu da Luz, Érica Pauline Radtke, de 13 anos (8º ano A), Isadora Reimer Dopona, 10 (6º ano B), Vinicius Gabriel Tambosi, 11 (6º ano A) e Renzo Davino Malon, nove anos (5º ano B). Entre eles, apenas Érica já tinha feito a prova no ano passado.

“Mas este ano eu achei a prova mais fácil. Apenas as últimas questões tinham um nível de dificuldade mais alto. E eu estudei bastante, principalmente, por causa das aulas da professora Maria Cristina”, comenta a estudante.

Já os outros três medalhistas de ouro fizeram a prova pela primeira vez, pois a escola não aplicou para o Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) em 2018. Isadora, Vinicius e Renzo afirmam que ficaram surpresos pelo resultado, por ser a primeira vez.

“Eu não esperava que fosse ganhar o ouro. Quando os professores falaram quem tinha ganhado e os dois melhores da minha sala não foram medalha de ouro, eu já não acreditava. Quando chamaram meu nome, eu logo comecei a chorar”, conta Isadora.

O mesmo aconteceu com Vinicius, que não escondeu a emoção ao receber o abraço da professora de Matemática do Ensino Fundamental II da escola, Maria Cristina Sborz Dallmann. Renzo também conta que ficou muito surpreso ao saber que ganhou a medalha de ouro.

Agora, Érica, Isadora e Vinicius concentram suas atenções na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep), cuja 1ª etapa foi realizada na terça-feira, 12 de maio. A mais velha, inclusive, já foi medalhista de bronze nesta prova, em 2018.

O secretário de Educação e Formação Empreendedora, Jorge Buerger, destaca que as provas de Olimpíadas de Matemática ajudam a tornar a área mais próxima da realidade do aluno. “A Matemática, normalmente, assusta um pouco pela complexidade e provas como esta ajudam a desmitificar esse conceito, trazendo questões que ligam a matéria ao dia a dia destes alunos. Por isso, nós ficamos bem felizes com os resultados e com a iniciativa da escola, pois isso evidencia que estamos no caminho certo na educação em Pomerode e que a Matemática é algo fundamental. Parabéns aos alunos à equipe”, ressalta Buerger.

Já o coordenador pedagógico do Colégio Sinodal Doutor Blumenau, John Eder Casa, afirma que o objetivo de proporcionar estas experiências é desafiar os estudantes em busca de conhecimento. “Para 2019, adotamos como meta participar de algumas olimpíadas com nossos alunos. Já participamos de algumas, inclusive, com muitos destaques, o que nos deixa muito felizes. Nosso objetivo é proporcionar aprendizagem aos nossos alunos, fazer com que sintam-se desafiados ao conhecimento para que possam ir além”, finaliza.

Medalhistas E.B.M. Dr. Amadeu da Luz

Ouro:
Renzo D. Malon – 5º ano B
Isadora R. Dopona – 6º ano B
Vinicius G. Tambosi – 6º ano A
Érica P. Radtke – 8º ano A

Prata:
Maria Clara Silvana Barbosa – 8º ano A

Bronze:
Tales A. Oestreich – 4º ano A
Pietra I. Gustmann – 6º ano B
Vinicius L. Ribeiro – 6º ano B
João V. Schwartz – 9º ano A

Honra ao Mérito:
Eduardo G. Mosena – 4º ano C
Sofia N. Jandre – 4º ano C
Eduarda Tabalipa – 6º ano A
João M. Friesen – 6º ano A
Lucas M. Wachholz – 6º ano A
Ryan Post – 7º ano B
Renan A. Selke – 7º ano A
Júlia Mueller – 7º ano A
Brenda C. Passold – 7º ano A

Medalhistas Colégio Doutor Blumenau

Prata:
Beatriz Hoge – 3º ano A
Kauan M. de Castro – 6º ano
Mariana G. Klitzke – 7º ano
Eduarda Gelsleichter – 2º ano EM
Bruno Siewerdt – 3º ano EM

Bronze:
Camila Isabelle Kienen – 6º ano A
João P. O. Berghahn – 6º ano A
Leonardo L. Corrêa – 6º ano A
Bruna Hoepfner Klug – 6º ano B
Allan V. Campreguer – 7º ano
Guilherme P. C. Cury – 7º ano
Nicolas Tito Dallmann – 7º ano
Oliver Brand – 8º ano B
Letícia Augusta Hardt – 9º ano
Rodrigo Bahr Klotz – 9º ano
Yohanna Lümke – 2º ano EM

Honra ao Mérito:
João Pedro V. Dahlke – 6º ano B
Richard Ariel Thurow – 6º ano B
Guilherme M. França – 7º ano
Mark Alan Klitzke – 7º ano
Laila N. Einsenburger – 8º ano B
Bárbara Millbratz – 9º ano
Danielly Demarchi – 9º ano
Eduarda Spies – 9º ano
Gabriela C. Hornburg – 9º ano
Laura Spaniol Souto – 9º ano
Alana Sell – 2º ano EM
Júlia Navarro Scheiwe – 3º ano EM

 



Veja também: