Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Pomerode em alerta pela falta de chuva

Nos meses de junho e julho, apenas pequenos volumes de chuva foram registrados na cidade, provocando a baixa no nível do rio e o alerta para o abastecimento

e69509fe537374f97068595964b00e63.jpg Foto: Raphael Carrasco/JP

A partir desta semana, a chuva voltou a dar as caras na cidade e na região, depois de vários dias e semanas de tempo seco. E por mais que frio e sol seja uma combinação que agrade muitas pessoas, ela também traz uma preocupação: a estiagem.

Devido ao longo período sem chuvas, o nível do Rio do Testo ficou mais baixo e um pouco desta baixa já pôde ser sentida em algumas das estações de captação de Pomerode, principalmente no ponto de captação localizado no Ribeirão Clara, segundo o Samae de Pomerode.

Devido ao pouco volume de chuva registrado nos meses de junho e julho, até o momento, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Pomerode já ligou as luzes amarelas, com relação ao abastecimento, como explicou o presidente da autarquia, Ricardo Campestrini.

“Já estamos em um estado inicial de alerta, porque, mesmo com a chuva nos últimos dias, ainda não é suficiente para mudar alguma coisa na situação do rio, já que foram volumes baixos. Já tivemos alguns casos, inclusive, de pessoas que nos procuraram porque o poço que têm em casa secou, então, alguns primeiros sinais da falta de chuva já começaram a aparecer, mesmo que não seja nada sério, ainda”, ressaltou.

O presidente do Samae destaca, também, que, mesmo que a situação não seja tão séria, é importante que a comunidade tenha responsabilidade no uso da água, já que este está sendo um inverno seco na região e outras cidades também já perceberam seus rios com um nível mais baixo, de acordo com Campestrini.

“As pessoas precisam, agora, ter responsabilidade na hora de utilizar a água e procurar não desperdiçar o recurso, para que não se crie um problema de desabastecimento por causa de escassez”, pondera.

Campestrini também afirma que o Samae está ciente da situação e monitora o nível do rio e como está a captação nos pontos em que é feita na cidade, no Rio do Testo, em Testo Alto, no Ribeirão do Salto, em Pomerode Fundos e no Ribeirão Claras, em Ribeirão Clara, além do poço profundo no Vale do Selke Grande.

“Por hora, a situação ainda é apenas de alerta. Porém, se continuar não chovendo muito, será preciso que tomemos outras providências. Por isso, o apoio da comunidade é importante, no sentido de utilizar o recurso hídrico com bom senso, não desperdiçando-o”, reafirma o presidente da autarquia.

Previsão 

Para os próximos dias, de acordo com o Climatempo e a Epagri/Ciram, há previsão de chuva para Pomerode, porém, ainda sem grandes volumes. A chuva deve chegar nos dias 27, 29 e 30 de julho, e também nos primeiros dias no mês de agosto, mas sem ultrapassar os 100mm nos próximos 10 dias, segundo as previsões.

O maior volume está previsto para o dia 30 de julho, quando deve chover cerca de 30mm, de acordo com o Climatempo.

De acordo com a Epagri/Ciram, em Santa Catarina, os municípios de Guaraciaba, José Boiteux, São João Batista, Rio das Antas e Rio Negrinho possuem estações de captação de água que já estão em estado de emergência, devido à estiagem.

Outras seis estações em cidades catarinenses estão em estado de alerta, algumas nos mesmos municípios que têm estados de emergência em seus locais de captação.



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg