Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Polícia Civil informa sobre andamento das  investigações de crimes em Pomerode

Os principais assuntos abordados foram os roubos a uma cooperativa de crédito e a um posto de gasolina ocorridos em 2018.

ba46ba3516c2b2f50784ca93be46d055.jpg Foto: Arquivo JP

Na manhã de quinta-feira, dia 08 de março, o Delegado da Polícia Civil de Pomerode, Luis Carlos Gross, concedeu entrevista à TVJP, na qual falou sobre o trabalho das polícias da cidade para solucionar os crimes ocorridos no município neste início de ano. 

O primeiro tópico abordado por Gross foi o roubo a uma agência da cooperativa Viacredi, em Testo Central, que aconteceu no dia 31 de janeiro. Segundo o Delegado, os suspeitos de praticarem esse crime já foram identificados. 

“Trata-se de uma quadrilha grande, que está espalhada por vários municípios e que atua, principalmente, no litoral, e em algumas cidades do interior. Grande parte de seus integrantes já foi identificada e já pedimos alguns mandados de buscas e apreensões que precisam ser cumpridos em outras cidades. Também solicitamos mandado de prisão para alguns destes integrantes, mas o pedido está sob análise do Ministério Público e acreditamos que, nos próximos dias, esses mandados serão cumpridos”, afirmou.

Gross também falou das investigações sobre o roubo a um posto de gasolina no sábado, 03 de março, que chamou a atenção pelo armamento utilizado durante a ação. Um dos ladrões portava uma arma semelhante a uma AK-47, considerada armamento de guerra.

“Também já temos alguns suspeitos de terem praticado esse crime e, na visão dos policiais que investigam a ação, a arma que chamou a atenção parece ser de brinquedo, mas enviamos as imagens à perícia para termos uma confirmação oficial desta informação. Acreditamos que, na realidade, a arma servia apenas para amedrontar as vítimas”.

Furtos na cidade 

O Delegado abordou sobre os diversos casos de furtos registrados em Pomerode nestes primeiros meses de 2018. De acordo com a Polícia Civil, a maioria dos casos são de furtos de bicicletas e de aparelhos celulares. Porém, neste último, alguns dados são animadores, já que, em média, a cada 10 celulares furtados, oito são recuperados.

O maior problema, atualmente, é o furto de bicicletas, com vários casos registrados recentemente. Um fator que dificulta a ação de recuperação da polícia é o fato de não haver meios de comprovar a propriedade da bicicleta.

“Portanto, é importante que a população, para evitar estes casos, se atente ao uso de cadeados. As pessoas entram nos estabelecimentos e deixam a bicicleta sem nenhum tipo de proteção. Qualquer pessoa pode pegá-la e sair andando, que ninguém irá contestar a propriedade dela”, aponta Gross. 

Porém, hoje, a Polícia Civil e a Polícia Militar têm um centro de investigação integrado e lá a primeira coisa que será feita é olhar as câmeras de segurança da cidade e coletar informações de vizinhos e pessoas que estavam próximas. Os agentes estão com as investigações alinhadas para tentar descobrir os autores dos crimes, o que facilita o trabalho.

“Estamos conseguindo uma boa resolubilidade dos crimes em Pomerode, conseguindo recuperar alguns objetos. As câmeras de vídeo monitoramento, trabalho das polícias Civil e Militar na prevenção, os moradores auxiliando com a Rede de Vizinhos, tudo isso forma um conjunto de fatores que levam ao sucesso do trabalho da segurança pública. Claro que não estamos imunes, mas estes são fatores que nos ajudam a solucionar um crime e, por isso, pedimos à comunidade que continue nos apoiando”, finaliza.



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Arquivo JP Arquivo JP
Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg