Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Páscoa é tempo de... chocolate!

Em época de Páscoa, visitamos uma fábrica de chocolates para saber um pouco mais sobre os processos de preparação desta iguaria pascal.

333cf91ea2f21706a439eb3fa3c126cf.jpg Foto: Isadora Brehmer/JP

A Época da Páscoa nos lembra, quase que imediatamente, o chocolate. O doce é quase um símbolo desta época do ano e aparece em quase todas as lojas e mercados, com os famosos ovos de Páscoa. Mas qual é o processo para que o fruto do cacau se transforme nos ovos e barras de chocolate que consumimos todos os dias? 

Para descobrir um pouco mais sobre o processo, nossa equipe visitou a fábrica da Nugali Chocolates, e acompanhou o processo de fabricação desta delícia. O proprietário da empresa, Ivan Blumenschein, durante a visita, explicou o passo a passo da produção do chocolate. 

Tudo começa com a chegada do cacau, que vem diretamente dos estados do Pará e da Bahia. Logo que chegam, os frutos vão para o setor de moagem e refinamento, onde são moídos, limpos, torrados e a casca é retirada. 

Depois de pré-quebrado, o cacau vai para as máquinas onde é misturado com o açúcar, com o leite em pó integral (se for ao leite), e, depois, processado. Há uma linha específica para cada tipo de chocolate e, após, ele vira o chocolate líquido para ser trabalhado.

A terceira etapa do processo é o choque térmico, para que a mistura do chocolate ganhe consistência. “O chocolate, depois de refinado, para que ele fique bonito e brilhante como queremos que fique, precisa receber um choque térmico. A manteiga de cacau, para ficar da maneira cristalizada, precisa rapidamente baixar a temperatura de 45°C para cerca de 27°C ou 28°C. As ‘temperadeiras’ fazem este processo e, depois de passar por estas máquinas, ele vai para uma ‘dosadora’, onde será colocado nos moldes. O chocolate passará por um túnel de resfriamento, saindo cristalizado do outro lado”, explica Blumenschein.

Deste outro lado do túnel, o chocolate é retirado das formas e está pronto para ser embalado. Cada produto recebe uma embalagem distinta, e são vários processos diferentes. Depois, o chocolate estará pronto para ser estocado e seguir para os clientes.

A última etapa do processo é a estocagem e separação dos pedidos. Em um galpão, cada pedido é separado para, depois, ser encaminhado ao seu destino, para a loja de fábrica da empresa ou para um dos outros 900 pontos de venda da marca espalhados pelo país. 

Tamanho alcance pode ser explicado pela preocupação com a qualidade dos produtos, inclusive, dois deles da linha Cacau em Flor já foram premiados internacionalmente no “International Chocolate Awards”, um tipo de “Oscar do Chocolate”. E, justamente por causa de sua qualidade, a produção da Nugali, hoje, é de cerca de 10 toneladas por mês, representando cerca de 100 mil itens. 

A linha de produtos da fábrica contém 35 produtos e, na Páscoa, um deles são os ovos de chocolate, que chamam a atenção das crianças e dos pais, pelo destaque das embalagens e pela qualidade, respectivamente. “Na Páscoa temos, sim, um incremento nas vendas com os produtos especiais e, também, pela tradição do chocolate. Para 2018, nossa previsão é ter um crescimento de 20% nas vendas, em relação a 2017”, ressalta o proprietário. 

O público que desejar também conhecer e ver de perto como o chocolate pomerodense é fabricado, poderá ter essa oportunidade muito em breve. Isso porque a Nugali irá inaugurar sua nova fábrica, ainda em 2018. Este novo local, será totalmente preparado para receber visitantes, abrigando, ainda, toda a estrutura da empresa. A nova fábrica ficará situada em Testo Alto, na Rota do Enxaimel.

 



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Isadora Brehmer/JP Isadora Brehmer/JP
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg