Jornal de Pomerode


Painéis solares são instalados na Câmara de Vereadores

São 32 painéis com investimento de pouco mais de R$ 50 mil. Estima-se que economia mensal seja de R$ 670. Os equipamentos contam, ainda, com garantia de 25 anos para as placas de energia solar.

340f1b272198b4089d05e54c50988064.jpg Foto: Mani Goede/JP

Cada vez mais a questão sustentabilidade vem sendo pauta, seja em projetos públicos ou privados. Em Pomerode, a Câmara de Vereadores saiu na frente no quesito e, nesta semana, finalizou a instalação do sistema fotovoltaico para dar início à geração de energia.

O presidente da Câmara, Rafael Pfuetzenreiter, enaltece que o projeto vem ao encontro da busca por economia, além da questão sustentável. “Um dos objetivos principais é a questão da sustentabilidade, que é algo muito crescente em todo o mundo, principalmente nos países de primeiro mundo. E também tem a questão da economia, já que o sistema de energia solar tende a gerar para a Câmara de Vereadores e para o meio ambiente”, frisa.

Ao todo, foram investidos cerca de R$ 52 mil, sendo R$ 44 mil na licitação do equipamento e cerca de R$ 8 mil no projeto de engenharia. A aquisição resultará, segundo o presidente, em uma economia média de R$ 670 mensais à Câmara. “Não é 100% de economia devido a uma delimitação do nosso telhado, mas já é uma economia grande em virtude dos gastos de energia que temos aqui. Nossa previsão é que, em um cenário perfeito, teremos o equipamento pago em quatro ou cinco anos. Já em uma previsão pessimista, teremos todo o equipamento pago em seis anos”, revela.

E falando em economia, a projeção é de que, dentro de 25 anos, haverá uma economia com a conta de luz de, no mínimo, R$ 300 mil. “Isso considerando o aumento da energia elétrica de 5% nos próximos 10 anos. E nos próximos 15 anos, um aumento de apenas 2%. Se o aumento da energia elétrica for de 10% a 15% ao ano, que é o que geralmente acontece em todo o Brasil, podemos ter uma economia de R$ 430 mil reais nos próximos 25 anos até uma economia de R$ 600 mil”, esclarece o vereador.

Os equipamentos contam, ainda, com garantia de 25 anos para as placas de energia solar e de sete anos para o inversor. “Não quer dizer que depois de 25 anos o equipamento estará inutilizável, apenas não terá mais garantia nenhuma. A produção irá continuar até o término da vida útil dele, que é muito mais do que os 25 anos de garantia, dados pela empresa que forneceu o sistema”, completa.

A questão também tem gerado polêmica e, quanto a isso, o presidente afirma que acredita na visão da população de que a aquisição dos equipamentos é de grande utilidade. “As palavras que temos ouvido são equivocadas e de quem não tem conhecimento sobre o assunto. Os valores estão disponíveis para quem quiser ver e provam o contrário. Tanto se fala em sustentabilidade e acredito que tenhamos que dar o exemplo como servidores públicos. São ações como estas que irão melhorar a vida de nossos filhos e netos. Desejo, apenas, que quem é contra o projeto reflita sobre isso. As crianças estão aprendendo hoje sobre o assunto na escola e nós, como adultos que somos, temos que mostrar, em atitudes, que a questão só depende da gente. É com exemplo que ensinamos e fazemos a nossa parte”, finaliza.



Tags:
Veja também:
Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Mani Goede/JP









Publicidade

  • f782967c3aaf9debcc3e55baaade247c.jpg