Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Oportunidade internacional

Alunos do Colégio Doutor são convidados a participar de Olimpíada de Matemática, que será realizada em Taiwan

4ee5750b4ceda905aead06b2c5c151f7.jpg Foto: Divulgação / Colégio Doutor

Propor novos desafios aos estudantes tem sido uma das bandeiras do Colégio Sinodal Doutor Blumenau nos últimos anos, sempre buscando novas experiências que possam agregar conhecimento.

Por isso, neste ano, estudantes do Ensino Fundamental II e do Ensino Médio foram desafiados a testarem seus conhecimentos na área da matemática, em uma prova diferente: a Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras, que teve as etapas estadual e nacional, com medalhistas pomerodenses.

O professor de matemática do Ensino Fundamental II, Davi Leandro da Silva, explica que este foi o primeiro ano em que a escola apostou nesta Olimpíada, depois de cerca de dois anos participando de outras mais conhecidas, como a Obmep, a Olimpíada Regional de Matemática e a Olimpíada Canguru.

“Esta prova é realizada de uma forma um pouco diferente. Ela é feita em grupo, ou seja, os alunos precisam trabalhar juntos para a resolução das questões propostas. O diferencial é o estímulo à cooperação. Ainda, na Olimpíada sem Fronteiras, os alunos apenas precisam apresentar o resultado, que é a resposta da questão”, esclarece o professor.

E para uma primeira experiência com a Olimpíada, os alunos conquistaram grandes resultados. Na Fase Estadual, em que 70 alunos participaram, foram conquistadas oito medalhas, sendo duas de ouro, quatro de prata e duas de bronze. A escola também se inscreveu na Fase Nacional da Olimpíada Sem Fronteiras e, mais uma vez, com bons resultados.

A turma do 6º ano A foi uma das medalhistas de ouro em nível nacional, com os alunos Luiz Alberto Kroenke, Leonardo Lanser Corrêa, João Pedro Otowicz Berghahn, Isabella Louise Jandre, Erick Borghezan Schotten, Camila Isabelle Kienen e Ana Laura Mendonça Perilo.

Já o 4º ano Azul conquistou a medalha de prata; e as turmas do 1º ano A do Ensino Médio, 5º ano Azul, 7º ano e 9º ano A, ficaram com as medalhas de bronze.
Graças a estes resultados na Fase Nacional, a escola recebeu o convite, através da Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento (Rede POC), para participar da etapa internacional da Olimpíada, a ser realizada no início do mês de agosto, em Taiwan. Porém, o Colégio ainda não confirmou participação, devido aos custos e à distância do local.

O professor de Matemática destaca que a realização destas Olimpíadas, que possuem provas diferenciadas, servem como um estímulo para que a Matemática não seja vista como “um bicho de sete cabeças”.

“A Matemática sempre é uma área que tem certa resistência por parte dos alunos e as Olimpíadas vêm para estimular os alunos e verem a disciplina de uma maneira diferente. Além disso, a realização destas provas eleva o desempenho geral do aluno na disciplina, pois começa a cativá-lo, despertando o interesse em buscar, cada vez mais, o saber”, ressalta.

Embora a ida para Taiwan ainda não esteja confirmada, o professor conta que a empolgação já tomou conta dos alunos. “Os alunos estão hiper empolgados por esta possível nova experiência e o maior desafio deles será fazer a prova em inglês, já que é internacional”, destaca o professor.

 



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg