Jornal de Pomerode


O reflexo da boa ação

Quem um dia faz uma doação, muitas vezes não sabe quem e de que forma será beneficiado pela sua boa ação. O início de 2017 surpreendeu pela quantidade de meninas que resolveram cortar seus cabelos e doar para a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Pomerode, que utiliza o cabelo para a confecção de perucas, destinadas a mulheres com câncer, para que recuperem a autoestima após perderem muito cabelo.

2c4782911616ca4e74433dbe76b84dda.jpg Foto: Divulgação

Quem um dia faz uma doação, muitas vezes não sabe quem e de que forma será beneficiado pela sua boa ação. O início de 2017 surpreendeu pela quantidade de meninas que resolveram cortar seus cabelos e doar para a Rede Feminina de Combate ao Câncer de Pomerode, que utiliza o cabelo para a confecção de perucas, destinadas a mulheres com câncer, para que recuperem a autoestima após perderem muito cabelo. 

Muitas destas meninas que doaram o cabelo, não conheceriam quem teve a vida melhorada graças à sua doação, mas, vamos apresentar uma das vidas que ficou mais feliz depois de receber uma peruca da RFCC de Pomerode. 

Dona Altemira Dorigon Casagranda, de 66 anos, mora longe daqui, do outro lado do estado, em São Miguel do Oeste, na divisa com a Argentina. Há pouco menos de um ano, após uma cirurgia para a retirada do ovário, os médicos descobriram a existência de um câncer na região atrás do ovário, que prejudicava, principalmente, a defecação. 

Em novembro de 2016, ela começou a quimioterapia e já nas primeiras semanas começou a perder o cabelo. Uma das filhas, Rosania Casagranda, gerente nos Correios de Pomerode e moradora de nossa cidade há anos, conta que a mãe sempre dizia não se importar com a perda dos cabelos e que dona Altemira sempre buscava ver tudo sob uma perspectiva otimista, sem medo de enfrentar o que vem pela frente. 

Porém, ao começar a notar, principalmente no grupo de idosos que frequenta, que as pessoas costumam reparar e olhar demais, ela se sentiu incomodada e, a partir daí, veio o interesse em, talvez, usar uma peruca.  

Iniciou, neste momento, a busca da família pela peruca. Em São Miguel do Oeste, elas tentaram conseguir uma peruca no salão onde dona Altemira costumava ir, mas teria um custo de R$ 1.200,00. Foi quando a Rede Feminina foi lembrada. Uma das irmãs de Rosania começou a procurar na região oeste e a Rosania entrou em contato com a RFCC de Pomerode, a fim de se informar com o assunto. 

Visitando a sede, Rosania conta que ficou surpresa com o que encontrou. “Lembro que fiquei surpresa com a quantidade de perucas que elas têm aqui, todas feitas com muito capricho, as costuras muito bem feitas. Conversei, então, com a Sulamita, que é presidente da Rede, e ela me garantiu que não tinha problema nenhum em a pessoa que recebe ser de outra cidade. Inclusive, ela me deixou à vontade para levar dois modelos para que minha mãe escolhesse”, relata. 

Ela decidiu, então, levar pessoalmente o presente para a mãe. No dia 24 de março, sexta-feira, assim que terminou o expediente, ela pegou a estrada, rumo ao oeste do estado. Chegou à residência da mãe às 02h do sábado. Voltou já no domingo à tarde, chegando em Pomerode às 22h. Mas, apesar do cansaço, Rosania revela que foram momentos inesquecíveis. 

“Minha mãe ficou muito feliz e animada com a surpresa. Ela agradeceu muito e disse que foi a melhor coisa que já fiz para ela, que foi como um remédio excelente, o melhor que ela poderia ter tomado. A autoestima dela está lá em cima novamente, o que ajuda, e muito, no tratamento”, conta a gerente. 

Rosania se emociona ao falar do sentimento em relação às pessoas que já doaram cabelo para a Rede, porque é graças a elas que sua mãe pôde voltar a se sentir bem novamente. 

“Só posso dizer que tenho toda a gratidão do mundo para quem já doou cabelo para a Rede. Ver a minha mãe feliz de novo não tem preço e ter autoestima ajuda e muito no tratamento. Às vezes, as pessoas que doam cabelo não sabem onde será usado ou o quanto ajudam para a felicidade de uma pessoa ou família, ainda mais uma pessoa que elas não conhecem e, provavelmente, nunca irão conhecer. Mas elas podem ter certeza que estão fazendo um bem enorme”, reitera Rosania. 

A gerente ainda ressalta o papel importante da Rede Feminina e a sua importância para a sociedade. “A Rede Feminina teve um papel fundamental para a felicidade da minha mãe, assim como deve ser para muitas outras pessoas e é importante que as pessoas saibam desse papel. Muita gente acha que nunca precisará desse tipo de ajuda, inclusive eu pensava assim, e provavelmente a maioria nunca precise mesmo, mas às vezes somos surpreendidos com isso e ter a ajuda da Rede é fundamental”. 

Rosania afirma que, a partir de agora, pretende retribuir essa ajuda tão importante que recebeu da RFCC. “Quero agradecer muito à Sueli, à Sulamita e às voluntárias, que me atenderam com tanta atenção e carinho quando fui buscar ajuda, elas foram incríveis. E dizer que pretendo sempre trazer cabelo do salão de uma amiga de São Miguel do Oeste, para contribuir também. Espero que mais pessoas ajudem essa instituição que sempre estará ali para nos estender a mão”, finaliza.

 

 



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg