Jornal de Pomerode

Edição Impressa



O raro talento de fazer arte

Artesã relata um pouco de sua experiência com a arte na semana em que se comemora o Dia do Artesão.

e4baf4d6440847da137fc81785d331e6.jpg Foto: Isadora Brehmer/JP

A arte de fazer artesanato é um dom que não são muitas pessoas que têm ou que conseguem desenvolvê-lo. Para executar tal ocupação, é necessário ter talento, dedicação e sensibilidade para estar atento aos detalhes. Exatamente por ser uma profissão para poucos, existe um dia especial para homenagear quem a escolheu para a vida. 

Em 19 de março, é comemorado o Dia do Artesão e, por este motivo, decidimos contar a história de uma artesã, que se dedica diariamente para tornar a vida de outras pessoas mais colorida e especial. Lilian Larsen é associada à Loja Feito à Mão em Pomerode, desde quando a associação foi criada, em 2016. Mas a sua relação com o artesanato começou muito antes disso. Na realidade, ela começou a ter os primeiros contatos com a arte ainda quando criança. 

“Eu ajudava minha mãe com as peças que ela costurava e meu pai trabalhava como marceneiro. Então, de certa forma, um pouco de arte sempre esteve presente na minha vida. Na adolescência, tive menos contato com a costura e o artesanato, pois precisei trabalhar fora, mas sempre que tinha um tempo, me dedicava à costura e ao bordado”, relata a artesã.

Há cerca de 15 anos, a atividade que antes era tida como um hobby, se transformou em fonte de renda. Lilian começou a vender as suas peças na antiga feira de Páscoa que acontecia na Praça Jorge Lacerda, oferecendo seus panos de prato pintados e costurados à mão, com diversas temáticas. Além destes, ela também faz casquinhas naturais decoradas para serem colocadas em Osterbäume. 

Ela participou da mudança da feira para o Salão Comunitário e depois para a Loja, no Centro Cultural. Lilian revela que a ajuda da Acip foi ótima para a organização das artesãs, envolvendo-as totalmente para o sucesso do empreendimento e, também, destaca a parceria com as outras artesãs. “É muito positivo estarmos juntas aqui, pois trocamos experiências e ideias sobre nossos produtos. Uma sempre ajuda a outra”, declara.

Lilian também ressalta que não se imagina tendo alguma outra profissão e se declara uma apaixonada pelo artesanato. “Sou muito feliz trabalhando com artesanato e fico contente por trabalhar aqui. O artesanato é também uma terapia, que me ajuda a me acalmar, além de eu ter a oportunidade de conhecer e conversar com muitas outras pessoas”.

A artesã também afirma que a principal recompensa é ver a satisfação e a admiração de quem visita e compra algo da Loja Feito à Mão. “Fico muito feliz por ter um retorno e ver os produtos sendo elogiados por quem vem à loja, não só o que eu produzo, mas os itens de todas. Inclusive, dá uma alegria a mais saber que muitos consideram o nosso artesanato como o mais bonito da região”.

 



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Isadora Brehmer/JP Isadora Brehmer/JP
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg