Jornal de Pomerode


O bicampeonato da afirmação

A cidade praticamente parou, no dia 11 de junho, para a decisão da Copa Pomerode de Futebol. O sol brilhou forte e, desde as primeiras horas de domingo, o campo do Estádio Hermann Koch começava a ser preparado para receber mais uma edição do clássico dos clássicos.

71861af5b207577ced8d4af574ecd8fa.jpg Foto: Victor Peiker / Jornal de Pomerode

A cidade praticamente parou, no dia 11 de junho, para a decisão da Copa Pomerode de Futebol Adulto Masculino - Troféu Willy Siewert. O sol brilhou forte e, desde as primeiras horas de domingo, o campo do Estádio Hermann Koch começava a ser preparado para receber mais uma edição do clássico dos clássicos: Vera Cruz e Floresta, que prometia ser mais um daqueles jogos para sempre. Algumas horas depois, a expectativa se confirmou, pois o gramado e todos os mais de 2.500 torcedores presentes em Testo Central foram testemunhas de uma partida que ficará marcada na memória.

Na entrada dos dois times ao campo de jogo foi marcada por muita festa de parte a parte. Após a execução do Hino Nacional e os cumprimentos protocolares, tudo seria decidido em 90 minutos. Ou não. Como o Floresta vinha com a vantagem do empate, poderia se precaver mais e explorar a velocidade de seus rápidos atacantes. Já o Vera, se quisesse buscar seu quarto título municipal, teria que vencer no tempo normal para levar o confronto ao tempo suplementar. Aí sim, voltaria a ter a vantagem do empate, por ter feito a melhor campanha na fase classificatória.

 

VERA NA FRENTE - Mas o que se viu no primeiro tempo, assim como no jogo de ida, foram duas equipes abusando da boa marcação e anulando as principais investidas do time adversário. No entanto, o Verdão do Centro conseguiu boas chances, com Milson e com o capitão Maranhão, mas que foram desperdiçadas. E como a velha “máxima” do futebol não falha (quem não faz, leva), os donos da casa acabaram abrindo o placar, aos 31 minutos. Após lançamento de Anderson, Bruninho partiu em velocidade e tocou no canto esquerdo de Elton, para delírio da sua fanática torcida.

Mesmo com a vantagem do adversário, o Floresta continuou dominando e, antes do fim da primeira etapa, poderia ter empatado. Em grande jogada individual, o lateral Thiago se livrou de dois marcadores e concluiu para o gol. Eder conseguiu fazer a defesa parcial e, em cima da linha, o zagueiro Chico afastou o perigo.

 

MILAGRES, GOL E CONFUSÃO - Na volta do intervalo, o que se viu foi um jogo em alta velocidade, no qual ambas as equipes criavam boas chances, fazendo com que os goleiros se destacassem. Com, pelo menos, duas grandes defesas cada um, Eder e Elton estavam se transformando nos nomes das partidas. Estavam, pois o que se viu nos minutos seguintes, tão cedo não sairá da memória dos torcedores.

Aos 36 minutos, Thiago avançou pela direita e arrematou com força. Novamente, Eder fez uma grande defesa e a bola subiu, batendo no travessão. Na sequência, Clayton e Milson disputaram o lance no alto e o jogador cruzmaltino jogou contra o próprio patrimônio (embora o gol fosse dado ao atacante florestino). A bola, então, bateu na mão do zagueiro Chico, que estava dentro do gol. A arbitragem prontamente validou o lance, o que gerou muita reclamação por parte do time do Vera Cruz, que correu em direção ao assistente, cobrando um posição diferente. Os seguranças tiveram que intervir e a partida ficou paralisada por cerca de seis minutos, até que os ânimos se acalmassem. Na confusão, Anderson (Vera Cruz) foi expulso.

 

ACRÉSCIMO - Com o gol de empate, o Floresta voltava a ficar com o título. Em virtude das paralisações, o árbitro Jefferson Schmidt assinalou 10 minutos de acréscimo, o que reacendeu uma ponta de esperança ao time e aos torcedores cruzmaltinos. No entanto, bem postado na defesa, o Floresta conseguia se impor e ainda sair em rápidos contra-ataques. Num deles, Kleyffer serviu a Lima que, com toda liberdade, acabou desperdiçando. Sem forças para reagir, o Vera não conseguiu seu objetivo e ainda viu Nandinho ser expulso, no final, após receber o segundo amarelo.

Com o apito final do árbitro, a festa tomou conta do gramado, com os jogadores e diretoria comemorando junto a seus torcedores, a conquista do bicampeonato. A cena mais marcante foi o massagista Colera atravessando o campo todo de joelhos. Infelizmente, do outro lado, uma briga entre torcedores do Vera Cruz foi registrada, o que manchou um pouco esta decisão.

 

NÚMEROS - Após pouco mais de três meses de disputas, a Copa Pomerode de Futebol Adulto apresenta os seus destaques. Na briga pela artilharia, dois atletas se destacaram: Vini, do Atlético, e Bruninho, do Vera Cruz, com nove gols marcados cada um. O ataque mais positivo foi o do Floresta, que balançou as redes adversárias em 28 oportunidades. Já as defesas menos vazadas foram as dos finalistas, com 18 gols tomados. E o Troféu Disciplina ficou com o Vera Cruz, que recebeu 31 cartões amarelos e quatro vermelhos, ao longo da competição.

A cerimônia que vai premiar os “Melhores do Campeonato” será realizada no dia 22 de junho, na Associação dos Servidores Públicos Municipais de Pomerode. Na oportunidade, também será entregue uma placa aos familiares de Willy Siewert, que batizou a competição comunitária.

 

Para conferir todas as fotos da decisão, CLIQUE AQUI.



Tags:
Veja também:
Galeria de fotos: 6 fotos









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg