Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Neuzi deixa Secretaria de Educação e Formação Empreendedora

Secretária exerce o cargo até o dia 31 de julho. A saída gerou surpresa e novo secretário já tem nome

7ffe583bb754f4a2fb0e0bde4eb36aec.jpg Foto: Arquivo JP

Quando se fala em educação pomerodense, um dos primeiros nomes que chega à mente é Neuzi Schotten. Sua carreira na educação iniciou aos 18 anos, como professora na rede municipal em Joinville, onde morava à época. Mas foi em Pomerode que Neuzi esteve à frente da educação municipal por mais de 20 anos.

Após quatro anos fora da Secretaria de Educação e Formação Empreendedora de Pomerode, Neuzi foi convidada para assumir a Pasta e, novamente, o desafio de coordenar, junto à sua equipe, a educação pública municipal.

Nesta terça-feira, 24 de julho, porém, uma notícia foi recebida com surpresa: Neuzi pediu exoneração de seu cargo. A Secretária permanece na Secretaria até o dia 31 de julho. A partir do dia 1º de agosto, assume a Secretaria o Prof. Jorge Luís Buerger.

A equipe do Jornal de Pomerode entrou em contato com Neuzi, que explicou os motivos de sua decisão e falou um pouco sobre seu futuro.

Jornal de Pomerode - A sua saída gerou bastante surpresa. O que a levou a tomar essa decisão?
Neuzi Schotten -
Para mim também gerou surpresa. Mas cheguei a um momento na vida que não quero mais passar por algumas coisas. As razões que me levaram a esta decisão são única e exclusivamente de caráter pessoal diante das inverdades a respeito da situação dos professores, veiculadas por interesseiros em manipular a opinião pública. Ainda mais quando essa manipulação vem de pessoas que nem os filhos têm na Rede Municipal e por esta razão não conhecem a qualidade da educação pública municipal que é oferecida à população. Particularmente, não quero e não consigo lidar com tamanha maldade. Quero manter os valores aprendidos com meus pais e que ensinei aos meus filhos. Quis apenas contribuir com meu trabalho e, por esta razão, aceitei o convite que o prefeito, pais e professores me fizeram no início dessa gestão.  Peço perdão pelas vezes que, por ventura, não atendi às expectativas. Sabemos que a grande maioria da população de Pomerode trabalha, estuda, ajuda, são pessoas do bem e sabemos que são estes que mantém o município. Mas estes se mantêm calados. 

É muito difícil fazer gestão quando há inferência no seu trabalho. No início do ano passado, quando assumi a Secretaria, reuni os diretores que, por sua vez, conversaram com as APPs e fizemos o planejamento das necessidades. Elencamos o que precisávamos fazer na área pedagógica, na área administrativa, e quais reformas, adequações, ampliações e construções precisavam ser executadas. Nunca fui procurada pelas pessoas que entravam nas escolas sem nenhum agendamento tirando o diretor de seu trabalho com os alunos e perguntavam o que estava faltando. Considero isso uma falta de respeito para com quem está à frente da gestão. E o pior é que eram criadas expectativas sem sequer verificar se outra escola não estaria com uma necessidade mais urgente, sem verificar orçamento, sem considerar o planejamento. Na minha perspectiva não é possível cuidar de quase 600 funcionários, de 22 escolas e CEIs, de mais de 4.000 alunos sem planejamento. Sempre chamei a comunidade e a Câmara de Vereadores para todos os eventos onde são discutidos os problemas e as necessidades da educação, pois sempre trabalhei em equipe. Nessas horas não há quem participe. 

O Calendário Escolar para 2018 foi elaborado coletivamente pela Rede Municipal em parceria com a Rede Estadual e a Rede Particular. Já havíamos decidido propor o início das aulas para mais tarde e termos aulas nos dias após feriados no Calendário de 2019. Mas aqueles que estavam interessados em criar polêmica nunca vieram conversar comigo. Nenhum de nós quer folga, até porque trabalhávamos mesmo que com um número extremamente reduzido de crianças. Ao contrário do que muitos gostavam de falar, sempre atendemos as crianças nas creches. Tínhamos sempre cinco creches abertas nas diferentes localidades, mas o que mais me intriga e que procuro entender é o motivo pelo qual apenas foi cobrado da Rede Municipal. Será que é para denegrir esta administração? Afinal, o Calendário da Rede Estadual e Particular é igual ao da Rede Municipal. Enfim, não quero fazer parte desse jogo. Sou uma profissional qualificada pois sempre estudei e paguei pelos meus estudos e me dediquei sempre ao máximo ao trabalho.

JP - Neste período, quais foram as maiores dificuldades que você encontrou?
NS -
Colocar em dia a vida funcional dos profissionais da educação foi um grande desafio. Centenas de portarias por fazer. Me preocupava, pois as portarias são a carteira de trabalho do servidor público. Organizar os professores de acordo com os critérios de número de alunos estabelecido em legislação própria especialmente nos Centros de Educação Infantil foi outro grande desafio. Conseguimos reduzir significativamente o número de funcionários uma vez que reduzir o percentual aplicado em folha de pagamento era o maior desafio. Mas o grande desafio w é criar equipe num universo de centenas de funcionários. Nesse sentido trabalhei muito na formação do diretor da escola e centro de educação infantil dando-lhe autonomia e empoderando-o como gestor diante de sua equipe.

Por fim, o grande e maior desafio é colocar o aluno como centro de todo o processo educativo. Sempre tive muita certeza de que toda a estrutura existe porque existe o aluno e em função dele as ações devemww ser desenvolvidas.  

JP - Em contrapartida, você também pode mencionar grandes conquistas. O que queres enaltecer?
NS -
Não gosto de falar das conquistas. Quem quis ver, viu. Aos demais não se faz necessário falar. 

JP - Qual o teu sentimento hoje e o que esperas deixar como legado?
NS -
Trabalhei 22 anos da Secretaria de Educação. Saí em 2012 em função da aposentadoria como professora. Voltei no ano passado. É uma vida toda dentro da Secretaria de Educação. 

Meu sentimento é o sentimento de quem nunca se esquivou do trabalho e de quem não deve nada a ninguém. Meu salário sempre foi pago pelo meu trabalho. Um gestor, especialmente da educação, tem uma carga horária semanal de trabalho que vai muito além dos cinco dias da semana e das 8 horas diárias. 

O legado que deixo é a formação decorrente das decisões que como gestora da educação precisei tomar. Sempre tive a certeza de que minhas decisões afetariam as gerações e a formação humana dos alunos a nós confiados. Por isso, sempre ouvia todos antes de tomar qualquer decisão. Estudava, lia, me informava. Ao contrário do que muitos pensam, as escolas e creches não são depósitos onde os pais deixam os filhos porque não tem com quem deixar. Escola e CEI é espaço de educação, de formação humana, de ensinamentos, de aprendizagens. 

JP - Podes comentar sobre a Secretaria e o professor Jorge, que irá substitui-la?
NS -
O Prof. Jorge já trabalhou na Secretaria de Educação na gestão do prefeito Ércio. Na época ele trabalhava como diretor de ensino da minha equipe. Hoje ele atua como gerente de ensino na Secretaria de Educação de Jaraguá do Sul. Ele é conhecido da Rede Municipal e muito querido por todos. É licenciado em Estudos Sociais, Bacharelado em Teologia, Licenciatura em História, Especialização em Interdisciplinaridade, Mestre em Sociologia Política e está cursando Administração Pública pela UFSC. É um profissional e um ser humano incrível. Cuidará da Educação de Pomerode com o mesmo zelo e amor que sempre o fiz. 

JP - A Neuzi sai da Secretaria, mas deixa também a educação? Quais os teus projetos para o futuro?
NS -
Saio da Secretaria de Educação, mas não deixo a Educação. Não saberia fazer outra coisa na vida. Muito provável que eu dê continuidade na minha carreira no Ensino Superior onde também atuo desde 1998 como professora e atuei como Coordenadora nos últimos quatro anos. 

JP - Tens algo que queiras acrescentar?
NS -
Quero agradecer muito ao Prefeito Ércio que me convidou e tanto se empenhou para que eu voltasse a assumir a Secretaria de Educação no início deste mandato. 

Aproveito a oportunidade para destacar e agradecer todo o empenho e todo o apoio que ele sempre teve para com a Educação durante o período em que estive à frente da Secretaria. Sua atenção para com a educação pública municipal é motivo de orgulho, de admiração e de reconhecimento da minha parte. Agradeço imensamente por todas as vezes que incansavelmente participou das reuniões de APPs, das reuniões de professores, das formaturas, das festas das escolas e centros de educação infantil,... Agradeço pelo apoio que sempre tive e pelo apoio que sempre dedicou aos profissionais da educação de Pomerode. 

 Também agradeço os pais de alunos que voluntariamente ajudam a fazer a gestão da educação no município. Aos professores e demais profissionais da educação que sempre me receberam com um sorriso e que foram parceiros nas decisões e encaminhamentos realizados. 

Por fim, quero deixar aqui registrado a valentia e a dedicação também incansável da pequena equipe da SEFE que nunca teve dia e horário para desempenhar suas funções. Somos uma equipe pequena pois todos bem sabem que de onze cargos comissionais que haviam na SEFE, nomeamos apenas cinco e assim trabalhamos durante este um ano e meio. E, pasmem, ainda precisamos ouvir das pessoas que julgo serem do mal que existem cargos comissionais demais e sem trabalhar. Que pena! Um desestímulo àqueles poucos que de forma valente aceitaram o desafio de dar conta daquilo que antes era realizado por uma grande equipe.  



Galeria de fotos: 2 fotos
Créditos: Divulgação Divulgação
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg