Jornal de Pomerode


Não perca o prazo

A exemplo do que acontece nacionalmente, grande parte dos contribuintes catarinenses deve deixar para a última hora a entrega da declaração anual do Imposto de Renda. Em 2016, segundo a Receita Federal, 14% dos processos foram enviados somente no último dia

965dbaa7ae7a93cdb789af6a4290c976.jpg Foto: Divulgação

A exemplo do que acontece nacionalmente, grande parte dos contribuintes catarinenses deve deixar para a última hora a entrega da declaração anual do Imposto de Renda.  Em 2016, segundo a Receita Federal, 14% dos processos foram enviados somente no último dia.
Até a manhã de segunda-feira, 24 de abril, a Receita contabilizou o recebimento de 753 mil declarações, que equivale a cerca de  63% do total (1,2 milhão) esperado no estado.

O prazo para o acerto com o Leão termina às 23h59min do dia 28 de abril, mas a recomendação da Receita Federal é que o contribuinte procure se antecipar, já que o aumento do fluxo no sistema de informática do órgão pode gerar uma dificuldade a mais. As multas, em caso de atraso, variam entre R$ 165,74 e 20% do imposto devido.

A declaração pode ser feita pela internet, com o programa de transmissão da Receita Federal (Receitanet), online (com certificado digital), na página do próprio Fisco, ou por meio do serviço “Fazer Declaração”, disponível para tablets e smartphones.

O delegado da Receita Federal do Brasil em Florianópolis, Saulo Figueiredo Pereira, também chama a atenção para os erros considerados mais comuns no preenchimento do documento e que podem levar o declarante a cair na malha fina do Fisco. “Verifique detalhadamente todos os rendimentos tributáveis. Se colocou uma pessoa como dependente, não esqueça de incluir também os rendimentos dela, bem como as despesas que são dedutíveis, tais como a previdência e gastos médicos. Tudo isso sempre munido de recibos, pois num período de até cinco anos você pode ser chamado para fazer uma comprovação destas informações.”

Já o contabilista Jacy Carlos Gubert ressalta outra falha comum dos declarantes: a não inclusão dos ganhos de capital. “Esta situação acontece quando alguém vende um imóvel por um valor superior ao qual o adquiriu e esquece ou omite esta informação do Fisco.”

Quem optar pelo desconto simplificado, abre mão de todas as deduções admitidas na legislação tributária em troca de uma dedução de 20% do valor dos rendimentos tributáveis, limitada a R$ 16.754,34, mesmo valor do ano passado.

Outra orientação é que, após finalizado o preenchimento e realizado o envio, o declarante verifique eventuais inconsistências no processo na página da Receita por meio do código de acesso ou do certificado digital fornecidos. “Se houver alguma pendência, o contribuinte ainda poderá fazer a retificação, evitando, assim, ser notificado”, frisa Pereira.

A Receita estima que as restituições do imposto devam acontecer em sete lotes, realizados entre 16 de junho e 15 de dezembro.



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg