Jornal de Pomerode


Misturando tecnologia e imaginação

Apaixonado por tecnologia e com um dom para invenção, Wolfgang Tiedemann Júnior, 29 anos, trabalha, atualmente, como arte-finalista na empresa Kyly. E nas horas vagas, gosta de misturar tecnologia com imaginação.

caa71d0681479d48aa540148645f6964.jpg Foto: Mani Goede/JP

Apaixonado por tecnologia e com um dom para invenção, Wolfgang Tiedemann Júnior, 29 anos, trabalha, atualmente, como arte-finalista na empresa Kyly. E nas horas vagas, gosta de misturar tecnologia com imaginação. 

Desenvolveu esse gosto cedo. Aos 10 anos, já desmontava aparelhos eletrônicos e com 14, fez uma de suas primeiras invenções, um fliperama de madeira. “Tinha o sonho, mas não tinha dinheiro, então inventei”, explica Junior. Já mais jovem, trabalhou arrumando eletrodomésticos, profissão na qual pode adquirir mais conhecimento. 

Uma de suas mais recentes invenções, a partir de uma placa de arduino, é um sensor de gás, que funciona também como um bafômetro. Para fazer o teste, é necessário apenas soprar em um suporte, as luzes que acenderem detectam o teor de álcool no sangue, diferente de bafômetros caseiros, que apenas apontam a presença da substância, mas não demonstram o teor de álcool presente.

Outra de suas aventuras foi feita em sua residência. Por meio de um comando de software, a casa possui sensor de voz. “Eu sempre quis que minha casa funcionasse pelo comando de voz, e, hoje, ela funciona”, exclama. Por meio de uma programação, quando fala determinada frase, alguma função dentro da casa é realizada. “Por exemplo, eu falo ‘abrir porta’ e programo a função que deve ser feita. Uma mistura de robótica, eletrônica e muita imaginação”, explica Junior. Cada invenção é uma nova aventura.

“O Google é um grande amigo”, afirma, mas somente para ter uma base, a maior parte das invenções são desenvolvidas por ele mesmo. “As informações são encontradas na internet, mas a sequência, como fazer, a ordem, isso tudo você pode escolher”, alega o arte-finalista. 

Junior não pretendo comercializar seus produtos. Segundo ele, é necessário mais aperfeiçoamento e tempo. “Eu gosto de fazer o que meu dinheiro não pode comprar”, relata. Ele tam planos de fazer novas invenções, porém, preferiu ficar com eles em segredo, afinal, um bom mágico nunca revela seus truques. 



Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg