Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Mais uma estrela no céu

Após mais de um ano de luta contra a leucemia, Maíza Mossner faleceu no dia 01 de novembro. A menina, que já preencheu as páginas do Jornal de Pomerode em duas ocasiões, deixa um legado de perseverança, carinho e muito amor

5e1acb10fdb285ef9b9410f7fbb22946.jpg Foto: Maykon lammerhirt/A Notícia

O mês de novembro começou mais cinza na cidade, principalmente para as pessoas que puderam conhecer Maíza Mossner, de sete anos. A menina, que batalhava diariamente contra a leucemia, não resistiu à força de seu inimigo e faleceu na quinta-feira, 01 de novembro, às 5h.

A história da Maíza preencheu as páginas do Jornal de Pomerode em duas ocasiões. 

Tivemos a oportunidade de contar a história desta guerreira após o seu diagnóstico de leucemia, em junho de 2017. Acompanhamos a sua história e vimos uma rede de solidariedade se formar ao redor da menina, principalmente na EBM Amadeu da Luz, onde Maíza estudava.

Em abril deste ano, a menina visitou a escola para acompanhar o sorteio de uma rifa em prol de sua família. A visita foi repleta de sorrisos e alegria, tanto por parte da menina quanto por parte da comunidade escolar que estava presente. A rifa tinha como objetivo auxiliar a família no custeio das despesas com deslocamento até Joinville, onde ela fazia o tratamento e que é referência em oncologia infantil.

De acordo com a família, a menina vinha sofrendo um agravo no quadro de saúde, e nos últimos dias, Maíza piorou muito. O pai, Celio Mossner, apenas agradece a todos que ajudaram na caminhada “Quero, aqui, deixar o meu agradecimento a todos que ajudaram, que colaboraram, de alguma forma. Nós fizemos tudo o que estava ao nosso alcance, assim como a equipe médica, que não mediu esforços no tratamento da Maíza, mas fez-se a vontade de Deus”, disse.

Na página da escola Amadeu da Luz, em uma rede social, a escola lamentou o falecimento de Maíza, mas destacou que a menina foi uma guerreira o tempo todo, além de desejar força a todos os familiares e amigos.

A menina foi velada e cremada na cidade de Curitiba. Ficam, também, registrados o abraço e os desejos de força à família de Maíza, de toda a equipe do Jornal de Pomerode.

 



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg