Jornal de Pomerode


Linguagens diferenciadas

Dois artistas trazem ao Norte Shopping obras com linguagens bem diferentes, mas que têm em comum o uso abundante das cores. Tom Veiga assina a pintura de 10 pranchas de surfe, com desenhos criativos e coloridos, que lembram o movimento das ondas e do vento no mar

21ad2a516cefa610467f5e5e19a9f076.jpg Foto: Divulgação

Dois artistas trazem ao Norte Shopping obras com linguagens bem diferentes, mas que têm em comum o uso abundante das cores. Tom Veiga assina a pintura de 10 pranchas de surfe, com desenhos criativos e coloridos, que lembram o movimento das ondas e do vento no mar. A outra exposição reúne 10 retratos criados pelo ilustrador Will Costa, artista autodidata que passeia pelos traços fortes da animação e pela sutileza do hiper-realismo.  

As pranchas de Tom Veiga são feitas em parceria com o amigo shaper Fernando Santos, na Praia do Rosa, no litoral Sul. Tom pinta as peças em cima da laminação usando o spray importado MTN 94, para só então, passar verniz fosco ou brilhante, dependendo da proposta. “A prancha tem uma curva única e inspiradora, e o valor que ela representa para um surfista é algo quase como o sol para um dia de verão. Pintar na prancha é um trabalho lento e detalhista, mas confere um resultado lindo”, diz. 

 Com referências de estilos como a Pop Art, a Art Nouveau e a estética Kitsch, os retratos de Will Costa unem a arte manual à digital. Após desenhar à mão e colorir com lápis de cor, o ilustrador digitaliza o retrato em um scanner e aplica sobre um background feito digitalmente em um editor de imagens. Os desenhos de Will são inspirados em fotografias e, normalmente, retratam celebridades nacionais e internacionais, que vão de Ivete Sangalo a Amy Winehouse. “Criei uma página no Facebook e comecei a postar desenhos de personalidades da cultura pop. A repercussão foi surpreendente, e até os artistas retratados começaram a se manifestar e divulgar meu trabalho”, comenta.
  
Sobre os artistas

Natural de Florianópolis, Will Costa cultiva a paixão pelo desenho à lápis desde criança. Mas foi aos 31 anos que decidiu transformar o seu passatempo em profissão. O artista foi um dos brasileiros convidados pelo Instituto Ayrton Senna para customizar um capacete para a exposição itinerante “Senna Na Cabeça e No Coração”. Já Tom Veiga é natural de Curitiba, mas mora em Garopaba (SC) há três anos. O artista já assinou projetos com várias marcas nacionais de surfe pelo Brasil afora. O trabalho dele também já foi publicado em revistas internacionais e está presente em mais de 40 países.



Veja também:
Galeria de fotos: 4 fotos









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg