Jornal de Pomerode

Edição Impressa



int(65474)

Lei que multa pedestres e ciclistas é prorrogada para 2019

As punições estão estabelecidas desde 1997, mas só em 2018 que a resolução da lei voltou a entrar em discussão. Consultamos a Getran para todos os esclarecimentos

5afd8c6726ccafddf719029198feceab.jpg Foto: Raphael Carrasco/JP

O Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) adiou a aplicação de multas para pedestres e ciclistas que infringirem as leis de trânsito, que teria início nos próximos dias. O novo prazo para vigência da Resolução 706/2017 - que regulamenta o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) quanto à autuação de pedestres e ciclistas, ficou para março de 2019.

Segundo o Gerente de Trânsito da Getran de Pomerode, Daniel da Luz, a medida permitiria que agentes de trânsito pudessem multar, desde pedestres a ciclistas, que desrespeitassem as leis de trânsito. No caso dos pedestres, quem atravessar fora da faixa ou andar no meio da rua poderá ter que arcar com multa de R$ 44,19 - metade do que é cobrado para infrações leves cometidas por motoristas, que é de R$ 88,38 e mais três pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação).

Da mesma forma, ciclistas que trafegarem em vias expressas, na contramão, sem as mãos ou carregando peso incompatível com a bicicleta, deverão arcar multa de R$ 130,16, com possibilidade de apreensão da bicicleta, caso sejam pegos pela fiscalização. Os valores ainda podem ser alterados até a aplicação da resolução em 2019.

Em Pomerode, a nova resolução deu o que falar, já que, a cidade possui um tráfego muito grande de ciclistas e pedestres na cidade. Arthur Borchardt, ciclista, tem a bicicleta como seu meio de locomoção para o trabalho e para praticar exercícios físicos. Ele conta que, quando ficou sabendo da lei, ficou insatisfeito e acabou publicando um desabafo sobre o assunto, em suas redes sociais.

“Naquele momento em que li essa nova regulamentação, não conseguia aceitar muito bem essa situação. Mas agora, de cabeça mais fria, penso que a lei pode ajudar na melhor convivência entre ciclistas, motoristas e pedestres. Porém, a cidade precisa de algumas melhorias em ciclofaixas e ciclovias. Em algumas delas, não há o espaço necessário para passarem duas bicicletas nos dois sentidos, obrigando o ciclista a desviar pela rua, o que, infelizmente, pode causar um acidente. Claro, tem que haver a conscientização também por parte de nós, ciclistas, pois muitos que acabam fazendo coisas erradas, acabam deixando a nossa imagem um pouco negativa”, explica Borchardt.

Da Luz fala que os investimentos necessários serão feitos para melhorias das ciclofaixas e ciclovias espalhadas por toda a cidade.

“O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) é bem claro no que se diz respeito à receita arrecadada com a cobrança das multas de trânsito, ela será aplicada, exclusivamente, em sinalização, engenharia de tráfego, de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito. Em Pomerode, estamos trabalhando para termos mais ciclofaixas e ciclovias. A mais recente foi a instalada na Rua Progresso, bairro Testo Alto. Já a ciclofaixa do centro da cidade também recebeu uma nova cara. Temos em nossa cidade alguns problemas para instalarmos estes dispositivos, mas o principal deles é a dimensão das nossas vias que, normalmente, são muito estreitas”, complementa.

 



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Raphael Carrasco/JP
Veja também:









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg